Quem está certo na Volvo Ocean Race?

February 11, 2015. Leg 4 to Auckland onboard MAPFRE. Day 3. One of the amazing islands of the Phillipines
February 11, 2015. Leg 4 to Auckland onboard MAPFRE. Day 3. One of the amazing islands of the Phillipines

Mais um fato chama atenção na quarta etapa da Volvo Ocean Race, entre a China e a Nova Zelândia. Depois de três dias com muito vento contra e ondas gigantes, as equipes colocam em prática suas estratégias para entrar com mais velocidade no Oceano Pacífico. O Team SCA e o Team Brunel escolheram o caminho mais ao Norte, beirando Taiwan, e os outros quatro barcos seguiram a rota tradicional, ou seja, pelas Filipinas. A perna deve terminar em no máximo três semanas na cidade neozelandesa de Auckland.

m35567_0211

As equipes devem esperar cerca de uma semana para descobrir se suas táticas estavam certas. Aparentemente, quem escolheu as Filipinas está levando vantagem. Na última atualização desta quarta-feira, Abu Dhabi, MAPFRE, Team Alvimedica e Dongfeng já abriram mais de 150 quilômetros de vantagem para os dois que ficaram por Taiwan. Na prática, Team SCA e Team Brunel vão navegar quase 500 quilômetros a mais do que seus quatro rivais.

February 11, 2015. Leg 4 to Auckland onboard Team Alvimedica. Day 3. MAPFRE and Dongfeng sailing along the Babuyan Islands off Luzon in cloudy conditions.
February 11, 2015. Leg 4 to Auckland onboard Team Alvimedica. Day 3. MAPFRE and Dongfeng sailing along the Babuyan Islands off Luzon in cloudy conditions.
February 8, 2015. Leg 4 to Auckland onboard Team Brunel. Day 2. 30 degrees heel, upwind and unstable sea state makes sailing uncomfortable.
February 8, 2015. Leg 4 to Auckland onboard Team Brunel. Day 2. 30 degrees heel, upwind and unstable sea state makes sailing uncomfortable.

“Até agora, a previsão do tempo diz que os dois têm razão, mas devemos esperar de seis a sete dias – ou até mais – para sabermos com certeza. Os barcos vão entrar nos Doldrums, virando uma loteria”, disse o meteorologista oficial da regata, Gonzalo Infante. “Esta perna marca a maior separação da flotilha desta edição”.

A boa notícia é que o mar está mais calmo, causando menos desconforto e enjoos do que na saída da China. “Imagine estar em uma montanha russa por mais de 60 horas consecutivas. É mais ou menos isso que sentimos. Você quer que ela pare, mas não há nenhuma chance disso”, disse Stefan Coppers, repórter a bordo do Team Brunel.

O campeonato é liderado pelo Dongfeng Race Team, que fez dois segundos lugares e ganhou a etapa anterior. O segundo colocado no geral é o Abu Dhabi.

Fonte: Volvo Ocean Race

Deixe uma resposta