Anúncios

Entendendo a Ficha Técnica de um veleiro

Se seu objetivo é comprar um veleiro, é importante estar familiarizado com os termos presentes em sua ficha técnica, para poder definir o que melhor atende a sua necessidade.

Para qualquer tipo de embarcação, mas principalmente para o futuro proprietário de um veleiro, as especificações presentes na ficha terão um tremendo impacto no uso, no custo de manutenção e na diversão que a embarcação irá proporcionar.

Isso também vale para os equipamentos oferecidos junto com ela, embora esse aspecto não vá ser abordado neste artigo.

Vamos criar um exemplo. Suponha que você tenha decidido adquirir um veleiro de 36 pés e se apaixonou por um Delta 36.

Ao consultar a Internet, esta é possivelmente a ficha técnica que irá encontrar:

Características técnicas

Estaleiro:Delta Yachts
Modelo:Cruzeiro
Comprimento:11,00m
Linha d´água:9,50m
Boca:3,66m
Calado:1,65m
Área velica:57,0m2
Área mestra:30,94m2
Área genoa (100%):26,12m2
Área balão:
I:13,45m
J:3,80m
P:13,45m
E:4,60m
LP:5,70m
Altura do mastro:
Pé direito na cabine:1,90
Deslocamento:5.950Kg
Lastro:2.200Kg
Projetista:Nestor Volker
Material do casco:Fibra de vidro
Tanque Combustível:160 litros
Tipo de Combustível:Diesel
Tanque de Água:360 litros
Tanque água quente:40 litros
Motor HP:40HP

Várias informações podem ser extraídas dessa ficha, mas uma que deveria saltar aos olhos de quem sabe o que quer de um veleiro é o seu modelo. Se o modelo encontrado é de “Cruzeiro”, é bem provável que exista um modelo de “Regata”.

Veleiro Delta 36 de nome Ti-Lana – não sei se está à venda. | Foto: Max Gorissen
Veleiro Delta 36 de nome Ti-Lana – não sei se está à venda. | Foto: Max Gorissen

A importância desse primeiro detalhe está no uso que você pretende fazer do veleiro.

Se você deseja uma embarcação de cruzeiro, é bem provável que na sua lista de prioridades estejam quesitos como conforto, espaço interno, número de banheiros, espaço da cozinha, número de cabines, quantidade de armários, capacidade de água e de combustível etc.

Caso se interesse por um modelo de regata, seu foco estará em área vélica, deslocamento, boca, calado, espaço interno livre, equipamentos disponíveis no deck etc.

Veleiro Delta 36 de nome Allegria. Não sei se está à venda. | Foto: Max Gorissen
Veleiro Delta 36 de nome Allegria. Não sei se está à venda. | Foto: Max Gorissen

Veja abaixo uma tabela comparativa com a ficha técnica do veleiro Delta 36 Regata e Cruzeiro.

Observe que diversas características da aplicação em cruzeiro foram otimizadas para a aplicação em regata (como o tanque de água, que é de 360 litros no modelo de cruzeiro e de 200 litros no de regata), o que pode ou não ser um problema para quem deseje fazer cruzeiro.

Características técnicas

Estaleiro:Delta YachtsDelta Yachts
Modelo:CruzeiroRegata
Comprimento:11,00m11,00m
Linha d´água:9,50m9,50m
Boca:3,66m3,66m
Calado:1,65m2.05m
Área velica:57,0m264,0m2
Área mestra:30,94m232,35m2
Área genoa (100%):26,12m230,40m2
Área balão:
I:13,45m14,65m
J:3,80m4,15m
P:13,45m14,20m
E:4,60m4,60m
LP:5,70m6,23m
Altura do mastro:
Pé direito na cabine:1,901,90m
Deslocamento:5.950Kg5.000Kg
Lastro:2.200Kg1.950Kg
Projetista:Nestor VolkerNestor Volker
Material do casco:Fibra de vidroFibra de vidro
Tanque Combustível:160 litros100 litros
Tipo de Combustível:DieselDiesel
Tanque de Água:360 litros200 litros
Tanque água quente:40 litros22 litros
Motor HP:40HP29HP

Como se pode ver, várias informações divergem de acordo com o modelo, e sua importância está no impacto que cada especificação terá sobre a opção de lazer do velejador, seja ela regata ou cruzeiro.

A ficha técnica é o documento mais importante fornecido por um estaleiro, ou, no caso de um veleiro usado, por um vendedor ou Yacht Broker.

Alguns itens são importantes para que se possa entender o conforto do veleiro, enquanto outros têm um impacto em seu uso, desempenho, acomodação e na maneira de usufruir do veleiro.

Há especificações, como a “boca”, que podem impactar tanto o conforto (quanto maior a boca, mais espaço interno), quanto a operação (veleiros mais estreitos cabem em vagas menores, que podem custar menos, ou podem ainda ter uma velejada em orça melhorada) e o desempenho (veleiros mais estreitos cortam melhor a água).

Algumas especificações aplicam-se somente a veleiros, mas a maioria delas se aplica às embarcações em geral.

DescriçãoNome em InglêsExemploO que significa e porque é importante?
EstaleiroBoatyardDelta YachtsNome do fabricante da embarcação.

Importante porque: Basicamente o estaleiro está associado a tradição, idoneidade, qualidade, status, preço de revenda, assistência técnica, etc. Veja o que é importante para você.

ModeloModelCruzeiroModelo da embarcação.

Importante porque: Pode ser definido de várias maneiras como, por exemplo, Regata, Cruzeiro, Cruizer, Racer, R ou C. Pode usar nomes que destacam características ou “desejos” como Vivace, Vision, Advanced, Odyssey, Solarium, Sloop, Sport ou Luxo. Pode definir uma aplicação como Mini-Transat ou Day Sailer. Pode definir uma categoria ou regra como ¼ Tonner, One Tonner, IMS, IOR, etc.

ComprimentoLength36´ 0” ft ou

11,00 m

Comprimento do casco da embarcação, medidos na horizontal, entre os pontos extremos de proa e popa.

Importante porque: O comprimento estabelecido para uma embarcação é crítico para o cálculo do espaço interno e para o cálculo da maioria das despesas que incorrerão sobre a embarcação (tamanho da vaga, lançada, marinheiro, quantidade de tinta venenosa, etc).

Para converter Pés (ft) em Metros (m), dividir os Pés por 3.2808 (36 pés / 3.2808 = 10,973 metros que foi arredondado para 11,00 metros)

Comprimento TotalLOA (Length Over All)11,00 mComprimento total incluindo todos os apetrechos fixos que se estendem para fora do caso na proa e na popa.

 

Importante porque: Este é o comprimento real do seu veleiro e inclui tudo que existe e que não “pode” ser removido entre os pontos extremos de proa e popa, como, por exemplo, todos os apetrechos e hardware (gurupé, plataforma, ancora, etc). Algumas marinas irão calcular o comprimento do veleiro com estes inclusos já que podem aumentar o tamanho do veleiro.

Linha d´águaLWL (Low Water Line)9,50mComprimento do veleiro na linha d´água.

Importante porque: A velocidade máxima de um veleiro, que possui um casco deslocante (uma embarcação que se move empurrando a água para os lados e para frente e nunca entra em planeio – não se aplica a lanchas), como um veleiro, é calculado pelo comprimento do casco na linha d’água. A medida em que a velocidade aumenta, uma espécie de onda se forma na proa do veleiro, limitando a sua velocidade. O barco fica refreado por esta onda que ele mesmo produz. Isto é chamado de “velocidade do casco”. A fórmula para se calcular a velocidade máxima do casco é:

Velocidade máxima (em nós) = 1,34 x (comprimento da linha d’água, em pés)1/2

BocaBeam3,66 mMaior largura de uma embarcação (geralmente perto do meio do veleiro).

Importante porque: Quanto maior for a boca de um veleiro, maior o espaço interno para se movimentar e/ ou armazenar “coisas”. A boca, apesar de ser uma medida importante de conforto, pode também determinar a vaga do veleiro em uma marina. Alguns veleiros são muito largos no meio, contudo, são muito estreitos na proa e na popa. Lanchas e veleiros modernos geralmente mantém sua largura desde um determinado ponto na proa, ou no centro, até a popa, o que faz com que a embarcação seja muito mais espaçosa.

CaladoDraft1,65mDistância vertical entre a linha d´água, ou plano de flutuação, e o ponto mais baixo da embarcação (em um veleiro é a ponta da sua quilha).

Importante porque: Um maior calado está relacionado a uma maior estabilidade (apesar de que esta relação não é necessariamente verdadeira em um veleiro que se utiliza de bulbos no extremo inferior da quilha). Veleiros de regata tendem a ter uma quilha mais profunda do que veleiros de cruzeiro. Quanto mais um veleiro cala, melhor pode ser sua habilidade de manter sua orça e não derivar. Preste atenção na área em que irá navegar e na variação da maré para determinar a profundidade máxima da sua quilha. Muitos veleiros ficam encalhados nas marés baixas.

Altura do mastroMast HighA altura do mastro.

 

Importante porque: Esta é uma categoria exclusiva de veleiros (apesar de algumas embarcações, como trawlers, também possuírem mastros) e é a altura do mastro medida a partir da linha d´água. Quanto maior a altura do mastro, maior a oportunidade de se aumentar a área velica e, para contrabalancear, maior a quantidade de lastro, que aumentar a estabilidade. Dependendo do local onde você veleja, seu mastro terá de ser limitado a uma certa altura que permita navegar através de pontes e outros tipos de obstruções.

Área velicaSail Area57 m2Quantidade total de metros quadrados de todas as velas.

Importante porque: Quanto maior a área velica, mais potência pode ser gerada. A potência pode ser calculada pela área velica e o deslocamento.

Área MestraMain Area30,94m2Área em m2 da vela situada a popa, atrás do mastro.

Importante porque: A vela mestra pode ser vista como uma aba (flap) que confere ao barco sua habilidade de orçar e de controlar o equilíbrio do leme, contudo, não é só isso já que as funções das velas se sobrepõe. Quanto maior a metragem quadrada, maior a vela e maior o esforço para ajustá-la (o que pode requerer mais tripulação), contudo, maior também a velocidade que pode ser extraída da vela.

Área Genoa ou BujaGenoa or Jib Area26,12m2Área em m2 da vela situada a proa, avante do mastro.

Importante porque: A genoa (buja) é considerada o motor do veleiro. Ela pode ser ajustada em vários ângulos já que não tem um mastro a sua frente para provocar turbulência e arrastro. Quanto maior a metragem quadrada, maior a vela e maior o esforço para ajustá-la (o que pode requerer mais tripulação), contudo, maior também a velocidade que pode ser extraída da vela.

Área BalãoSpinnaker or Gennaker AreaÁrea em m2 da vela de proa usada avante do estai de proa. Pode ser um balão simétrico (Spinnaker – geralmente precisa de um pau-de-spi) ou assimétrico (gennaker).

Importante porque: O balão simétrico precisará de tripulação para ajudá-lo na sua preparação e regulagem, inclusive a do pau de spi. O balão assimétrico, hoje em dia, permite até uma pessoa preparar e regular, caso possua enrolador. Ambas velas são mais eficientes que a genoa ou que a buja em condições de vento que vem de popa ou pela alheta.

IGenoa or Jib Hight13,45mAltura Genoa/buja – Triângulo de proa.

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

JGenoa or Jib Base3,80mBase Genoa/ buja – Triângulo de proa.

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

TTesta Genoa/ buja – Triângulo de proa

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

LPG5,70mPunho Genoa/ buja – Triângulo de proa

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

PMain Luff13,45mComprimento máximo da testa da vela mestra (até a retranca).

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

EMain Foot4,60mEsteira da Vela Grande

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

MGTGirth a 7/8 Vela Grande
MGUGirth a 3/4 Vela Grande
MGMGirth a 1/2 Vela Grande
MGLGirth a 1/4 Vela Grande
SLAltura Spinnaker

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

SPLComprimento do pau de Spinnaker

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

SMWLargura máxima Spinnaker

 

Importante porque: Não vou entrar em detalhes pois teria de me estender no assunto. Também serve para as velarias poderem fabricar as velas. Veja figura abaixo.

Deslocamento:Displacement5.950KgPeso da embarcação.

Importante porque: O deslocamento é uma das medidas de estabilidade de um veleiro. Veleiros leves requerem menos potência no motor ou da força do vento na vela para mover a embarcação à velocidade do casco. Embarcações mais pesadas, são mais estáveis, contudo, precisam de mais potência/força para se mover. A motor, isso implica em um maior consumo de combustível.

LastroBallast2.200KgO peso da embarcação no seu ponto mais baixo.

Importante porque: Quanto maior o lastro relativo ao deslocamento, menor será o centro de gravidade da embarcação e, com isso, maior será sua estabilidade. O lastro também mantém uma embarcação aprumada.

Pé-Direito na CabineHeadroom1,90 mAltura do pé-direito calculado na parte mais alta da cabine (não necessariamente em toda a extensão da embarcação).

Importante porque: Você deseja ter de se curvar para não bater a cabeça quando estiver dentro do veleiro? Acho que não, contudo, dependendo do tamanho e da aplicação do veleiro, não terá opção.

Projetista:Nestor VolkerNome do projetista ou escritório de design.

Importante porque: “Pedigree”, qualidade, engenharia, etc

Material do casco:Fibra de VidroMaterial com o qual o casco foi fabricado.

Importante porque: A manutenção futura, seu custo e a frequência em que deverá ser realizada, será determinada pelo tipo de material escolhido para cada aplicação dada ao veleiro. Tudo dependerá da qualidade do projeto, do processo de construção, da qualidade dos materiais, da durabilidade de cada material no ambiente em que será usado, etc. Os materiais mais comuns na construção de veleiros: Fibra de Vidro, Madeira, Materiais Exóticos (kevlar, carbono, etc.), Aço, Alumínio e Ferro-cimento.

Tanque de CombustívelFuel Capacity170 litrosVolume total de combustível que a embarcação pode carregar em seus tanques fixos.

Importante porque: A distância máxima percorrida a motor pode ser calculada tanto por horas quanto pela distância percorrida a determinado RPM (Rotação por minuto). Este é um elemento chave na hora de se planejar uma viagem.

Tanque de águaWater Capacity360 litrosQuantidade total de água que a embarcação pode carregar em seus tanques fixos.

Importante porque: Para aqueles que desejam realizar cruzeiros e não tem acesso a uma torneira com água ou a um watermaker, a quantidade armazenada no tanque limitará o que pode ser lavado, a duração dos banhos e, no caso da água ser potável, a quantidade de água para beber.

Tanque de água quente (boiler)Water HeaterQuantidade total de água que a embarcação pode carregar em seu boiler (tanque de aquecimento de água para banho).

Importante porque: Quanto maior o tanque, maior o tempo possível de banho quente, apesar de que, quanto maior o tamanho do tanque, mais espaço e energia ele usa. Cada um tem de calcular o tempo que deseja ficar no chuveiro, tanto para conservar água quente, quanto para conservar água e energia.

Tanque de resíduos e esgotoHoldin TankQuantidade total de dejetos humanos/esgoto que a embarcação pode carregar em seus tanques fixos.

Importante porque: Talvez ainda não seja importante no Brasil, contudo, na maioria dos países do primeiro-mundo, não é permitido lançar seus dejetos humanos/esgoto a menos de 10 milhas da costa. No Brasil, seria muito agradável que as embarcações parassem de poluir as águas em que nadamos.

Motor HPHorsepower40 HPPotência do motor

Importante porque: Mesmo que o veleiro não consiga ir mais rápido do que a velocidade limitada por seu casco, um motor mais potente faz com que o veleiro tenha uma resposta mais rápida e seja mais fácil de controlar em manobras.

ficha-tecnica

Vale dizer que as embarcações de recreio também estão sujeitas a uma classificação, estabelecida pela autoridade marítima, quanto à zona de navegação:

  • Tipo 1 – embarcações para navegação oceânica: concebidas e adequadas para navegar sem limite de área.
  • Tipo 2 – embarcações para navegação ao largo: concebidas e adequadas para navegar ao largo até 200 milhas náuticas de um porto de abrigo.
  • Tipo 3 – embarcações para navegação costeira: concebidas e adequadas para navegação costeira até uma distância não superior a 60 milhas náuticas de um porto de abrigo e a 25 milhas náuticas da costa.
  • Tipo 4 – embarcações para navegação costeira restrita: concebidas e adequadas para navegação costeira até uma distância não superior a 20 milhas náuticas de um porto de abrigo e a 6 milhas náuticas da costa.
  • Tipo 5 – embarcações para navegação em águas abrigadas: concebidas e adequadas para navegar em zonas de fraca agitação marítima, junto à costa e em águas interiores.

As embarcações de recreio do tipo 5, movidas à vela ou a motor, podem navegar num raio de 3 milhas náuticas de um porto de abrigo. Se forem movidas exclusivamente a remos, só podem navegar a até 1 milha náutica da costa. E caso sejam designadas por motos de água e por pranchas motorizadas, só podem navegar a até 1 milha náutica da linha de baixa mar, desde o nascer do Sol e até uma hora antes de seu poente. Todas as embarcações de recreio do tipo 5 estão dispensadas de sinalização luminosa, desde que naveguem entre o nascer e o pôr do Sol.

Até 1998, utilizava-se uma outra classificação no Brasil, a de classe da embarcação, que ainda hoje a vemos pintada nas proas dos cascos de antigos veleiros (por exemplo, H2j ou D3j). Essa classificação não é mais utilizada. Embora em desuso, suas classes mais importantes para nosso esporte amador podem ser recordadas no quadro a seguir.

E = Fluvial/ Lacustre (lagos e rios)1 =j = Esporte/ Recreio
G = Interior de Porto2 = Motori =
H = Navegação Costeira3 = Vela
D = Alto Mar

Espero que todos esses esclarecimentos tenham sido úteis para quem deseja avaliar seu veleiro atual ou definir seu próximo veleiro. Mas não deixe de comprar o veleiro dos seus sonhos só porque alguma característica (ou todas elas) da ficha técnica não encaixa na sua necessidade.

Veleiros são paixões: cada um tem a sua. Há um velho ditado que diz: “Não somos nós que escolhemos o veleiro, e sim o veleiro que nos escolhe”. Lendas à parte, escolha o veleiro de que você gosta!

No meu caso, adoro veleiros da classe IOR, que não são necessariamente os mais espaçosos ou com a melhor estabilidade nos ventos da popa, contudo a orça e o través desses veleiros são maravilhosos… e eu simplesmente gosto do seu design!

orm
Veleiro ORM, um ¼ Tonner, projeto de German Frers com base na classe IOR e construído pela Mariner em 1983 com o nome Ranger 26. | Foto: Max Gorissen
Veleiro Gaia 1, um One Tonner, projeto de German Frers com base na classe IOR e construído pela Frers y Cibils em 1987 com o nome F&C 40. Veleiro não está à venda. | Foto: Max Gorissen
Veleiro Gaia 1, um One Tonner, projeto de German Frers com base na classe IOR e construído pela Frers y Cibils em 1987 com o nome F&C 40. Veleiro não está à venda. | Foto: Max Gorissen

Escolha um veleiro que o fará feliz ao navegar, que o fará se sentir bem quando chegar a um ancoradouro, que seja adequado à sua disponibilidade de tempo para o lazer e no qual sua família se sinta bem. Em seguida, use a ficha técnica para fazer uma escolha consciente.

Bons ventos!

Max Gorissen

Velejador, escritor e editor da SailBrasil.com.br… nessa ordem!

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

14 Comments

  1. Anselmo Pinheiro tavares outubro 25, 2016 at 8:39 pm

    Olá , ótima matéria, estou com muita vontade de adquirir um veleiros .
    Abraços

  2. Estou comprando um veleiro Bruce farr31 impecável o barco é meu primeiro veleiro o q vc acha pra morar dá tranquilo né em termos de ser um pouco mais estreito a os outros o q vc acha qual as vantagens e as desvantagens
    Email. andrecostaag@hotmail.com
    Obrigado
    Att
    André

    • Bom dia André,

      Obrigado por seu contato e interesse no nosso site!

      Acho o Bruce Farr 31 um excelente veleiro. Mas não se pode negar de que é um veleiro concebido para regata, contudo, mexendo um pouco no seu interior, acho que dá para ter um excelente veleiro para se morar… Não para viajar pelo mundo como sua casa flutuante, mas para morar e velejar costeiro.

      O tamanho dele é bom, mesmo estreito… não caia no “marketing” dos “experts” em veleiros modernos que tentam convencer o velejador de que ele precisa muita coisa para viver em um veleiro. Não precisa! A maioria dos que dizem isso nunca velejaram ou, pior, nunca moraram em um veleiro!

      O Farr 31 é um veleiro concebido, corretamente, de fora para dentro, ou seja, desenharam um veleiro com casco e velame marinheiro e regateiro e depois se preocuparam em como ficaria por dentro. Hoje, os veleiros são concebidos de maneira diferente; Se pensa como será o interior (para atrair as mulheres e as pessoas que pensam que no mar temos de ter as mesmas regalias e confortos de uma casa) e depois fazem um casco ao redor deste interior… estes últimos, são veleiros pouco marinheiros, desengonçados e feitos realmente para quem quer ter uma casinha. Nada contra, se o que você quer é ter uma casinha flutuante.

      Se puder e realmente tem interesse em viver em um veleiro, recomendo que compre o livro: “Get real, get gone. How to become a modern sea gypsy and sail away” do autor Rick Page… Tem na Amazon. Ele é um pouco radical em algumas coisas mas o livro mostrará o que você precisa para viver em um veleiro (esqueça a maneira espartana de como ele encara a vida no mar e se concentre nas experiências) e para escolher o veleiro mais adequado para isso.

      Fico a disposição.

      Bons ventos!

      Max Gorissen
      Editor e Velejador

      • Obrigado pela atenção. Desculpeme mas por que nao viajar o mundo com ele, algum problema com esse barco q nao daria pra viajar o mundo??? Obrigado

      • Bom dia André,

        Não tem nenhum problema com o barco em si. Como disse, é um excelente veleiro.

        O que se convenciona internacionalmente como o melhor modelo de veleiro para se viajar o mundo, seja por sua segurança ou pelo seu conforto, é que se use um veleiro com quilha inteira (Full Keel ou Ballast Keel em vez do tipo fin-keel) e leme integrado… apesar de que no Brasil é difícil encontrar esse tipo de quilha já que não temos muitos destes tipos de configuração em veleiros…

        Existem várias razões para usar um veleiro com quilha e leme integrados, contudo, o principal é a segurança de não se perder o leme (ou a quilha) no caso de algo bater nestes, da mesma se soltar (existem vários exemplos de veleiros perdendo a quilha por causa de problemas com os parafusos de fixação), além de poder quebrar ou o leme se soltar e cair já que não possui um ponto de fixação na parte de baixo (ficam pendurados).

        Existem centenas de veleiros Fin-Keel velejando pelo mundo por anos a fio sem problemas de quilha ou de leme. Eu mesmo tenho um e estou planejando uma viagem Santos-Miami… Isto posto, estando ciente deste fato, é só realizar constantes vistorias e/ ou manutenções preventivas para que não ocorra nenhum problema… também é bom evitar de bater em objetos submersos ou de encalhar… 🙂

        Bons ventos!

        Max Gorissen

      • Obrigado Max, se o problema for so esse ta tranquilo sou bem chato com essas coisas. Gosto de manter as coisas tudo certinho em dia pra nao ter problemas futuros obrigado. Bons ventos!!

      • Prezado Max.
        Estou lendo as perguntas e as respostas.Parabéns pela sua atenção e orientação dadas .

      • Boa tarde Eduardo,

        Obrigado! Veleiro e velejar para mim é uma paixão. Se possível, gosto de compartilhar meu conhecimento para que mais pessoas venham a velejar.

        Fico a sua disposição!

        Bons ventos!

        Max Gorissen

  3. ESTOU BATALHANDO PARA ADQUIRIR , UM UM, PODE ME INDICAR UM VELEIRO COM TRINTA PÉS QUE DE PARA MORAR, E NAVEGAR PELO MUNDO.

    • Bom dia Marco,

      Obrigado por seu contato e interesse no nosso site!

      Os veleiros na faixa dos 30 pés no Brasil são limitados e, se suas intenções incluem navegar pelo mundo, recomendo ir logo comprando um veleiro de pelo menos 36 a 40 pés… nesse tamanho você encontra maior variedade e o veleiro vai sem dúvida atender tanto sua necessidade de moradia quanto de travessia. Pesquise na internet por veleiros nesse tamanho.

      Se tiver experiência e se seus planos são o de navegar pelo mundo, recomendo que compre seu veleiro fora do Brasil e parta do porto onde comprou… os veleiros lá fora são mais baratos e melhor equipados.

      Fico a sua disposição.

      Bons ventos!

      Max Gorissen

  4. Boa noite Max , td bem ?!
    Eu e minha namorada , futura esposa estamos planejando comprar um Delta 36 para morar e navegar pelo Mundo , pensamos comprar outro barco fora , mas pelo motivo que vamos iniciar nesse mundo, achamos melhor comecar por aqui e explorar bem o Brasil e adquirir experiencia aqui , o que vc me diz do barco , vale a pena ir nele , ou investir um pouco mais e pegar um barco maior e um pouco pior de ano ?
    Desde ja agradeço , bons ventos !!

    • Boa noite Daniel,

      As premissas para se estabelecer se um veleiro é bom ou ruim para se morar e viajar pelo Brasil vai depender da personalidade de cada um de vocês individualmente, contudo, posso adiantar, tudo vai depender de uma série de “preconceitos” (preconceito no bom sentido da palavra) que você e sua futura esposa possuem em relação ao que vocês definem como conforto, individualidade, sentido de espaço, liberdade, uso e importância de espaços comuns (como banheiro e cozinha), entre outras coisas… além, é claro, levar em conta a sua idade (que não sei) quando avaliar seus próprios “preconceitos”. Menciono a idade pois, quanto mais velho a gente fica, mais a limitação de espaço pode incomodar.

      Um veleiro de 36 pés possui um bom tamanho para quem está começando, principalmente se for “encarado” como um veleiro para se “aprender” a viver a bordo. Importante lembrar de que o conceito de tamanho mudou muito nos últimos 10 anos já que, nestes, os veleiros, aumentaram muito seu volume interno x tamanho, com bocas mais largas que se estendem até a popa).

      Me referindo ao veleiro Delta 36 especificamente, motivo da sua pergunta, este é, sem dúvida, um excelente veleiro. Tem bom tamanho, é muito bem construído, é confortável, navega bem, é bom de “revenda” (importante para quem quer apenas um veleiro de transição) e possui diversas qualidades que fazem dele um dos melhores veleiros fabricados no Brasil.

      Apesar disso, seu tamanho, para quem pretende mudar com sua “futura” esposa, usando como exemplo a minha esposa e várias outras com quem conversei e que fizeram a mudança de terra para a água, eu diria para você, é pequeno. Isso porque, por mais que as pessoas dizem se adaptar, a vida a bordo, principalmente para quem está começando, é muito difícil… lembre-se: o dia tem 24 horas não importando onde esteja. 24 horas em um veleiro não é fácil, mesmo com toda a “propaganda” de que seu jardim é enorme.

      Por isso, eu recomendaria comprar um veleiro maior (não necessariamente mais caro), no mínimo de 40 pés e, se possível, o mais novo (ano), em melhor condição (pouca coisa por fazer/arrumar) e mais equipado (painéis solares, bimini, geladeira que funcione, bote com bom motor, etc) possível. Se tiver dinheiro, não caia nessa de comprar um veleiro para “restaurar”. Compre um veleiro que esteja pronto para iniciar sua aventura e parta o mais rápido possível para uma região como Paraty-RJ para começar a sentir o que é viver a bordo em um lugar paradisíaco e com infraestrutura náutica. Você e, principalmente, sua “futura” esposa vai agradecer.

      Vamos trocando e-mails para discutir assuntos mais específicos.

      Espero ter ajudado.

      Bons ventos!

      Max Gorissen

  5. Muito obrigado as dicas Max , tmb Nessa faixa de preço que estamos olhando teria o Ro 400 , porem nao vi quase nada falando a respeito dele , o que me diria ? Att

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: