O desenvolvimento dos marinheiros de embarcações de lazer

Nos últimos anos, a complexidade de uma embarcação de lazer, seja um veleiro, uma lancha ou um yacht, aumentou exponencialmente. Hoje, pode-se afirmar que, essas embarcações, principalmente na faixa acima dos 40 pés, funcionam como uma pequena empresa, constituída por uma parte patrimonial, composta por casco, cabine, mobília, mecânica, elétrica, instrumentos de navegação, entre outros, por uma expectativa de retorno “imediato”, constituído pela possibilidade de lazer e diversão e, por uma estrutura hierárquica claramente estabelecida para administrar tudo isso, composta pelo proprietário e por sua tripulação. Esta estrutura “administrativa” é formada, em alguns casos, por um capitão e, na maioria, por um ou mais marinheiros, trabalhando juntos no gerenciamento de todas as tarefas que vão desde o lazer e a navegação no final de semana, até as de operação da embarcação como manutenção, limpeza, abastecimento, reforma, alimentação, logística, finanças, segurança e legais, relacionadas à propriedade e uso do que no Brasil chamamos de Embarcações de Luxo. Ainda falando de Brasil, o mais comum é termos o marinheiro assumindo a responsabilidade total por todas as tarefas descritas acima, em detrimento da figura do capitão, como principal responsável pela embarcação. Não existe nada de errado neste modelo brasileiro além, é claro, de … Continue lendo O desenvolvimento dos marinheiros de embarcações de lazer