Brasileiro de ORC e IRC

Fotos Fred Hoffmann

Dias lindos, com sol, água limpa e vento bom. Esse foi o resumo do Campeonato Brasileiro de ORC e IRC realizado pela ABVO entre os dias 6 e 9 na Ilha Grande, em Angra dos Reis. Vinte e sete barcos participaram da competição, que teve seis regatas disputadas, entre percursos e barla-sotas. A classe ORC foi a mais numerosa, com 17 inscritos. A IRC contou com 10.

Fotos Fred Hoffmann

CLASSE ORC

Na classe ORC, o barco mais rápido foi o Pajero, que levou o título geral da competição e o troféu transitório. Nas divisões, no entanto, o time de Eduardo Souza Ramos ficou com a medalha de prata na categoria A, que teve como campeão o Crioula, de Eduardo Plass. O terceiro colocado foi o Maximus, de Ralph Rosa. Na categoria B o título ficou com o Maestrale LogSub/Mapma, de Adalberto Casaes, seguido por Marlim, de Rodrigo Cavalcanti e Bijupirá, de Gabriel Velloso.

“Fizemos uma boa média de resultados… não arriscamos muito, formos conservadores e somamos menos ponto. A tripulação fez um bom trabalho, o barco estava rápido, bem trabalhado no rating, o que nos coloca em uma posição favorável. Como somos os mais rápidos podemos tomar as decisões antes dos adversários. O campeonato foi excelente, com seis regatas diferentes, não teve raia viciada… fechamos com chave de ouro. Estamos muito contentes. Estamos em um ano muito bom, vencemos o Circuito de Floripa, a Semana de Vela e agora o Brasileiro”, disse André Fonseca, o Bochecha, tático do Pajero.

“Nós adoramos esse campeonato, adoramos a raia. Tivemos condições excepcionais. E quando não estava assim tão bom, a CR arrumava um jeito proporcionar aos velejadores a melhor alternativa. Ficamos muito felizes com o título da ORC B. Só lamento que parte da tripulação não pôde velejar no primeiro dia, que foi o que mais ventou. Nas demais regatas, aproveitamos muito. O local foi um achado, a raia é muito boa e isso dá partida a uma iniciativa fantástica da ABVO com organização independente”, disse Casaes.

 

Fotos Fred Hoffmann

CLASSE IRC

Na IRC o Rudá, de Mario Martinez, ficou com o ouro geral e na divisão I. O segundo colocado foi o Saravah, de Pierre Joullié, seguido por Cherne, de Renan Siqueira. Na divisão II o título ficou com o Asbar, de Jonas de Barros Penteado, com Jackspot, de Pedro Avelino em segundo, e Orson Czechvar, de Carlos Eduardo Silva, em terceiro.

“O campeonato foi muito gostoso, à beira do mar, pé na areia… Não é uma raia viciada, foi um campeonato justo. Parabéns para a ABVO por ter feito um campeonato inteiramente realizado por ela”, disse Mario Martinez, que é 2º Vice-Comodoro da ABVO.

“Foi muito interessante. Nunca tinha feito campeonato na Ilha Grande, embora passeie por aqui há muitos anos. São Pedro ajudou muito, com o vento espetacular todos os dias. Foi um campeonato difícil, com quatro barcos sempre brigando pelo título da categoria II. O que bobeia menos, ganha. Essa vitória na B foi muito gratificante. Ano passado ficamos com o título geral e esse ano na B!”, disse Jonas.

Fotos Fred Hoffmann

“Escolhemos a Ilha Grande por ela estar equidistante da Ilha Bela e do Rio de Janeiro, que possibilitaria a presença dos barcos dos dois estados, além de ser uma localização pouco explorada para eventos de vela. É um lugar muito bonito, com uma raia onde os velejadores não estão acostumados a competir. Escolhemos fazer em setembro, pois não havia regata de oceano entre a Semana de Vela de Ilhabela, em julho, e o Circuito Rio, em outubro/novembro. A Ilha é muito bonita e atrai turistas que vão em busca de atividades em meio à natureza e a vela acaba levando um outro tipo de turista para lá”, disse o Comodoro da ABVO Paulo Freire.

RESULTADOS POR CATEGORIA

ORC A

ORC B

IRC I e II

Veja também as fotos de Fred Hoffmann

 

Anúncios

Deixe uma resposta