Primeira Etapa do Circuíto Marreco 2018 aconteceu no último sábado!

Neste ano, dezoito equipes estão inscritas na Classe Marreco, que realizou sua primeira regata de 2018 no último sábado, dia 17 de março.  Dezesseis equipes se alinharam para a largada na raia 3. Márcio Finamore foi o juiz.

Desta vez, os barcos que optaram por largar próximos à juria não se deram muito bem. O grupo que saiu mais próximo à boia avançou bem, até chegar à Ilha dos Macacos (ou Eucaliptos). Nelcides Marcondes, do PS, contou-nos um pouco da sua regata: “O vento entrava em rajadas e variava bastante de direção, o que complicava a sua tática. Os da ponta, ora paravam e, logo depois, disparavam procurando um caminho mais favorável. A ponta da Ilha dos Eucaliptos (ou dos Macacos), como sempre, é um divisor, e fez da massa de barcos que vinham, desde a largada, se transformar em uma fila indiana. Na virada da Ilha das Formigas, eu achei que alguém ia encalhar, mas parece que todos passaram ilesos.” Entretanto, como sempre acontece no contorno de marcas, os barcos se juntam e trocas de posição acontecem.

Adesso esteve na liderança durante toda a prova; apenas pouco antes da chegada sentiu-se ameaçado por Marlin XIV. O tempo todo seguido por Falcão Peregrino e Argonautas, que se engalfinharam em vários momentos e trocaram posições, Adesso apenas controlou seus adversários.

A tripulação do Macanudo lamentou sua largada ruim.  Leandro Zerbinatti falou com seu filho Theo: “vai ser uma regata de recuperação”.  De fato, eles conseguiram fazer algumas ultrapassagens até a Ilha dos Macacos, mas contou que “no popa, perdemos posições por não usarmos o balão.  Mesmo assim, na última perna nos recuperamos e fizemos uma chegada emocionante, lado a lado com o Forgada.  Foi divertido!”. Outro Marreco que largou mal, mas conseguiu se recuperar foi Marlin XIV que, após a partida na última posição, escolheu velejar pela margem leste, onde o vento estava melhor, e isso o levou à quarta posição na montagem da Ilha dos Macacos.

A perna com vento em popa entre a Ilha dos Macacos e as Ilhas Carecas, começou a definir melhor as posições, como descreveu Nelcides: “a regata continuou bem competitiva com varias disputas por posição. A descida com balão foi muito divertida, exigindo vários jibes. O destaque ficou com o INTRUSO, que deu um show descendo em asa de pombo e segurando a posição.” Banzeiro, Salgadinho, PS e Pepei avançaram em relação aos seus adversários mais próximos.

A perna final de contravento após o contorno das Ilhas Carecas proporcionou novas mudanças de posições e definiu a classificação.  Os destaques na parte final ficaram por conta de: PS conseguindo superar Gulliver no penúltimo bordo e ainda sustentar-se à frente de Banzeiro, mas ainda assim atrás de Salgadinho, o quinto colocado; da chegada de Macanudo e Forgada, muito próximos; e de Marlin XIV, que optando em manter-se no bordo em que estava por mais tempo que os ponteiros, logrou ultrapassar Argonautas e Falcão e chegar em segundo.

O vento esteve entre 3 e 8 nós, com algumas poucas rajadas de 10. A duração da prova ficou em torno de 1h e 50 minutos, numa distância percorrida de 5 Mn, com uma velocidade média dos barcos em torno dos 3.3 nós, e máxima registrada de 6.4 nós.

A premiação foi realizada após a regata no Sailing Center (https://www.facebook.com/sailingguarapiranga), seguida do tradicional churrasco e ao som de violão.  Durante a premiação foram sorteados 3 vales-brindes cedidos por um dos patrocinadores da classe, a Loja Velamar (www.velamar.com.br ).

Neste ano, a pedido da maioria dos participantes, serão realizadas 8 regatas – uma a mais do que nos anos anteriores.  A próxima etapa será no dia 07/04/2018.

A Classe Marreco também recebe apoio do Jornal Almanáutica (www.almanautica.com.br), LGA Produções Audiovisuais (https://www.lgaproducoesaudiovisuais.com), CYF (www.cyf.com.br), AFETIAN (www.afetian.com.br) e VivantSP (www.vivantsp.com.br).

Resultado da Primeira Etapa:

  1. Adesso (61) – Wilson Kato e Madalena Kato
  2. Marlin XIV (011) – Victor Neubern e Rosângela Neubern
  3. Falcão Peregrino (19) – Haroldo Fiocco e Antonio Correa
  4. Argonautas (86) – Walter Fischer e Elaine
  5. Salgadinho (207) – Renato Olandim e Alberto Henrique Rezende
  6. PS (06) – Nelcides Marcondes de Souza e Maria Helena de Mesquita Pinto Souza
  7. Banzeiro (98) – Marcelo Rustiguer e Luiz Fernando de Souza
  8. Gulliver (91) – Reynaldo Cagnin Jr e Ricardo Nini
  9. Intruso (73) – Isnard Xavier e Manoel Xavier
  10. Pepei (14) – Ricardo Stávale e Cássio Mcgyver
  11. Macanudo ( ) – Leandro Zerbinatti e Theo Zerbinatti
  12. Forgada (27) – Fernando Martins e Fernando Cepeda
  13. Mestre VII (203) – Carlos Freier e Roberto Moura
  14. Blue Moon ( ) – Edsom Ortega e Lebos Chagouri
  15. (troféu Tartaruga) – Esconderijo – Antonio Ferreira Lima e Elias Ângelo
  16. Kauai (203) – Roger Simões e Eduardo Costa

Um abraço a todos! 

Victor S. Neubern Jr.

Deixe uma resposta