Scheidt se aproxima da vaga olímpica no Mundial de Laser

Competição no Japão tem mais duas regatas na madrugada desta terça-feira, com Robert Scheidt dentro da zona de seleção para Tóquio 2020

Com três velejadores brasileiros na flotilha ouro, o Campeonato Mundial da classe Laser chega ao fim nesta terça-feira, dia 9, em Sakaiminato, no Japão. Com mais duas regatas previstas, Robert Scheidt está à frente na disputa para ser o representante do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Ele aparece na 12ª posição na classificação geral, com 71 pontos perdidos, 28 pontos de vantagem em relação ao 18º lugar, linha de corte estabelecida no critério de seleção. As provas decisivas têm início previsto para as 23h (de Brasília) da noite desta segunda-feira, dia 8.

“Faltam duas regatas para conquistar o objetivo, que é a vaga em Tóquio. Não tem que fazer muita conta. Agora é lutar muito para velejar bem para fazer as duas regatas de forma consistente. Vou com tudo, mas sabendo que o importante é manter a concentração e a calma nessa etapa final. Tem muita coisa em jogo para muita gente em Sakaiminato e todo cuidado é pouco. Agora é evitar os grandes erros e tentar fazer duas regatas consistentes para me manter entre os 18 melhores”, disse Scheidt.

Nesta segunda-feira, Robert conseguiu um 15º e um 25º lugares nas duas regatas do dia. Em Sakaiminato, Scheidt luta para garantir sua sétima participação em Jogos Olímpicos de Verão, o que seria um recorde para um atleta brasileiro. O velejador já é dono de cinco medalhas olímpicas: dois ouros na Laser (Atlanta-1996 e Atenas-2004); duas pratas, sendo uma na Laser (Sydney-2000) e uma na Star (Pequim-2008); e um bronze na classe Star (Londres-2012)

Correndo por fora na disputa pela vaga, Bruno Fontes (40º lugar, com 149 p.p.) e João Pedro Souto de Oliveira (41º, 151 p.p.) também estão na flotilha ouro do Mundial. Philipp Grochtmann completa a delegação brasileira no Mundial e ocupa a 87ª colocação no geral, com 203 pontos perdidos, na flotilha prata.

De acordo com o critério estabelecido pelo Conselho Técnico da Vela (CTV) e ratificado pela Confederação, o velejador brasileiro mais bem colocado neste Mundial, contanto que esteja dentro do top 18 da competição, estará elegível para defender o país em Tóquio 2020. Ele só perderá essa vaga se outro atleta do Brasil for medalhista no Evento-Teste Enoshima 2019 ou subir no pódio do Mundial da Laser em 2020.

A classe Laser é tradicionalmente uma das mais concorridas, e o Mundial 2019 conta com um total de 156 competidores inscritos.

Mais informações: https://2019worlds.laserjapan.org/

Resultados: https://2019worlds.laserjapan.org/standard/results/

SOBRE A CBVELA

A CBVela é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). Tem o Bradesco como patrocinador oficial e oGrupo Energisa como parceiro oficial e patrocinador oficial da Vela Jovem. A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: sete. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 18 medalhas em Jogos Olímpicos.

Tiago Campante

+55 21 3723-8177 | +55 21 991 037 425

tiago.campante@mediaguide.com.br

http://www.mediaguide.com.br

Curta nossa página no Facebook: @mediaguideesporte

Anúncios

Deixe uma resposta