Nos primeiros 9 meses, 4,7% das empresas brasileiras fornecedoras para o mercado náutico cadastradas na SailBrasil fecharam as portas!

Ontem, 16/09/2019, encaminhei uma mala-direta divulgando a nova edição Nº 6 da revista SailBrasilMagazine e o novo aplicativo ServicosNauticos.com desenvolvido pela CompuStream, para a base de contatos das empresas do setor náutico e para os usuários da SailBrasil e fiquei chocado com o número de e-mails de empresas que retornaram como “Domínio Inexistente”.

Também retornaram muitos e-mails de usuários (318) como “Não identificado”, mas isso é esperado pois, com um número tão grande de cadastros, é muito normal muitos e-mails retornarem já que, o pessoal, troca de emprego.

Contudo, “Domínio Inexistente”, como o próprio nome indica, significa que o domínio não existe mais e, se o domínio não existe mais, é bem provável que a empresa também já não exista (fiz uma checagem por amostragem ligando ou checando os sites das empresas e realmente não existem mais).

Ontem, o Cadastro da SailBrasil era composto por (sem quebra por subcategoria):

  • 1.422 empresas brasileiras prestadoras de serviço ou fornecedoras de produtos para o setor náutico (principalmente para a vela – este número não inclui empresas especializadas “somente em lanchas” nem os estaleiros que fabricam lanchas)
  • 8.581 usuários (não incluindo as empresas acima)

Um total de 10.003 cadastros.

Dos usuários que se cadastraram na SailBrasil (8.581), mais da metade, 4.385, são de velejadores que não possuem veleiro, mas que velejam regularmente, 2.847 são de proprietários de veleiros e outras embarcações (veja na tabela abaixo as quantidades por subcategorias) e, os 1.349 restantes, são de pessoas que buscam informações sobre a vela brasileira e se cadastraram na SailBrasil para receber nossa newsletter.

4,7% das Empresas fecharam as portas

Em meio à crise econômica que vivemos, desde o início do ano, quando enviei outra mala direta, usando como base o número de retornos da minha mala-direta de ontem na categoria “Domínio Inexistente”, o Brasil teve 68 empresas fechadas nestes primeiros 9 meses do ano, ou 4,7% das 1.422 empresas no cadastro da SailBrasil.

Foi a primeira vez que tive um número tão grande: 68 empresas.

Normalmente, desde o ano de 1998 quando criei a SailBrasil e iniciei o envio de malas direta, fechavam no máximo 2 ou 3 empresas ao ano.

Contudo, sei que a realidade é bem diferente já que, muito mais do que 68 empresas do setor náutico no Brasil fecharam as portas ou partiram para a informalidade nestes primeiros 9 meses do ano, contudo, os números da SailBrasil, apresentam um número “real” de fechamentos em um cadastro “de empresas fornecedoras para o mundo náutico, em especial a vela” que, até o final do ano passado, era composto por 1.422 empresas “ativas”.

Vemos muitos outros números por aí, contudo, não são números específicos do nosso mercado, como, por exemplo, os números da última Pesquisa Anual do Comércio (PAC) divulgada no mês de junho de 2019 onde, mais de 411 mil postos de trabalho e 80 mil empresas foram fechadas em quatro anos, saldo do comércio brasileiro em meio à retração econômica, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (27/06/2019) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O que significa ter 68 empresas fornecedoras para o mercado náutico fechadas?

Independente da crise, já que, sempre vivemos uma crise ou outra no Brasil, este número é alarmante e demonstra que devemos realizar um esforço, como amantes do esporte e lazer náutico, a “Considerar, promover e ajudar a desenvolver a indústria da vela brasileira comprando produtos produzidos no Brasil!”, esforço que, a SailBrasil vem tentando divulgar no meio náutico, principalmente na vela brasileira.

Não deixemos as empresas fornecedoras de produtos e serviços brasileiras fecharem.

Por este motivo, ao comprar um veleiro, uma peça de reposição ou um produto para seu veleiro; Considere Produtos Brasileiros!

Bons ventos!

Max Gorissen

Velejador, escritor e editor… nessa ordem!

Anúncios

Deixe uma resposta