Mundial de Snipe 2019 segue indefinido com dez barcos com chances de título

Decisão do principal campeonato da modalidade será neste sábado (12), em Ilhabela (SP)

Os campeões do Mundial de Snipe 2019 serão conhecidos neste sábado (12), em Ilhabela (SP), com a realização das últimas duas regatas da competição. O equilíbrio pode ser notado na tabela de classificação com pelo menos dez barcos com chances reais de título. O evento conta com 70 equipes de 11 países.

Brasileiros (Matias Capizzano)

Os espanhóis Damian Borras Camps e Jordi Triay assumiram a liderança provisória do Mundial de Snipe com 38 pontos após as provas desta sexta-feira (11). Os vice-líderes são os brasileiros Henrique Haddad e Gustavo Nascimento, com 39. Os barcos que estão atrás seguem na briga pelo título, pois em caso de nove regatas completas, cada time pode descartar os dois piores resultados.

”O campeonato está muito equilibrado e nossa estratégia, por também não conhecer muito a raia, é ficar no meio. Isso tem dado certo e estamos contentes por estar em primeiro lugar em um evento tão difícil”, contou o espanhol Damian Borras Camps.

Largada (Matias Capizzano)

Das duplas com possibilidades reais de ficar com o Isaack’s Trophy, seis são brasileiras, duas espanholas, uma argentina e outra uruguaia. As regatas finais do Mundial de Snipe 2019 serão disputadas neste sábado, a partir de 11h. ”Fica tudo pra amanhã! Temos que curtir esse momento de chegar no último dia com chances. Não está morto quem peleia”, disse Gustavo Nascimento, que faz dupla com Henrique Haddad.

Escola de Vela Lars Grael (Matias Capizzano)

Regatas do dia

As regatas de sexta-feira mostraram que a decisão do campeonato será apertada. Na primeira do dia, realizada na Ponta das Canas, com 12 nós de vento leste, a equipe local, formada por Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling venceu. Os espanhóis Damian Borras Camps e Jordi Triay ficaram em segundo.

Campeão mundial em Punta del Este 2001, Alexandre Paradeda sabe que a dupla não pode mais errar, após ter dois resultados ruins nos primeiros dias. Mesmo assim, o velejador acredita que tudo está em aberto. ”Estamos pendurados e nada vai mudar. Não podemos mais errar! Precisamos largar bem e conseguir bons resultados. Está tudo muito parelho”.

Drone (Matias Capizzano)

Na segunda regata do dia, Juninho de Jesus e Gabriel Borges sobraram e confirmaram o terceiro lugar na classificação geral.

”Nosso plano era ir para água e tirar pontos do primeiro colocado. A gente conseguiu e fica tudo para amanhã, não tem nada certo e vamos pra cima”, completou Gabriel Borges, campeão mundial em 2011.

”Amanhã tem uma previsão complicada, mas temos a missão de ganhar o campeonato. E quem quer ser campeão mundial tem que velejar com qualquer condição”. 

Espanhóis brilham

Os velejadores Damian Borras Camps e Jordi Triay se sentem praticamente em casa em Ilhabela (SP). Os espanhóis são de Menorca, nas Ilhas Baleares, local parecido com o litoral norte paulista.

Espanhóis (Matias Capizzano)

”A única diferença é que em Menorca não tem tanta corrente como aqui”, explicou Damian Borra. ”A gente treina na ilha e tinha uma ideia de como seria, só não esperava tanta corrente no Brasil. Por isso trabalhamos no meio da flotilha”, explicou Damian Borras Camps.

Os velejadores começaram mal o campeonato tirando um 47º lugar, mas depois se mantiveram entre os dez primeiros em todas as outras provas. ”Vamos lutar para ficar entre os primeiros nas últimas regatas e ganhar o Mundial”. 

Premiação dos melhores

Neste sábado (12), os campeões mundiais serão conhecidos em Ilhabela (SP). O vencedor leva pra casa o troféu Isaack’s Trophy, honraria que homenageia o primeiro comodoro da classe Snipe. 

Para o melhor proeiro da competição, a Snipe Class International Racing Association estabeleceu o O’Leary Trophy, que está provisoriamente com o espanhol Jordi Triay. 

A dupla que vencer a última regata disputada no Campeonato Mundial de Snipe ganhará o Eael Elms Perpetual Trophy e, a taça Bibi Juetz, será entregue para a tripulação mista melhor colocada no mundial. Hoje, o ranking daria ao brasileiro Mateus Tavares e à norte-americana Kathleen Tocke o prêmio.

Ilhabela (Matias Capizzano)

O Troféu Vieri Lasinio Di Castelvero de campeão mundial júnior ficou na semana passada com os brasileiros Gustavo Abdulklesh e Leonardo Motta. As regatas para atletas com até 22 anos foi disputada de 2 a 5 de outubro.

A cerimônia de premiação do Mundial de Snipe 2019 será realizada na Marina Porto Ilhabela, a partir de 19h deste sábado. 

Veja a lista de campeões mundiais

Resultados

1 – ESP – Damian Camps / Jordi Triay – 38 pontos

2 – BRA – Henrique Haddad / Gustavo Nascimento – 39 pontos

3 – BRA – Mario Jesus / Gabriel Borges – 47 pontos

4 – BRA – Mateus Tavares / Kathleen Tocke – 52 pontos

5 – BRA – Alexandre Paradeda / Gabriel Kieling – 54 pontos

6 – ESP – Gustavo Del Castillo / Rafael Del Castillo – 67 pontos

7 – BRA – Felipe Rondina / João Oliveira – 69 pontos

8 – BRA – Juliana Duque / Rafael Martins – 75 pontos

9 – ARG – Luis Soubie / Diego Lipszyc – 78 pontos

10 – URU – Ricardo Fabini / Florencia Parnizari – 81 pontos

Veja os resultados completos

Sobre o barco

Classe: Snipe Class International Racing Association

Nº de tripulantes: 2

Designer: William Crosby

Material do casco: madeira ou fibra de vidro

Ano do primeiro projeto: 1931

Comprimento do casco: 4,7 m

Quantidade de vela: 2 (mestra e buja) Peso do barco: 173 kg

Baixe o Aviso de Regata do Mundial de Snipe 2019

Foto em destaque: Vila (Matias Capizzano)

—–

Entre em contato com a equipe On Board Sports:Flavio Perez
flavio@onboardsports.net | redacao@onboardsports.net
+55 11 99949-8035
www.onboardsports.net

Anúncios

Deixe uma resposta