Barcos espalhados entre Cabo Verde e Ilha da Madeira na Transat Jacques Vabre

A flotilha da 14º Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre completa neste domingo (3) uma semana de prova.

A largada foi dada em Le Havre, região da Normandia na França. Os barcos seguem rumo à Salvador, na Bahia, pela sexta vez, em um percurso de 4.350 milhas náuticas em duplas.

Nesta manhã, 1.000 milhas (1 852 km) separavam o primeiro Multi50: Groupe GCA – Mille et un Sourires e o último barco do campeonato, o Class40: Terre Exotique.

Os veleiros mais rápidos já fizeram metade da regata e se preparam para passar próximo do arquipélago de Cabo Verde enquanto cogitam a melhor maneira de entrar nos Doldrums, zona de convergência intertropical no Atlântico.

O trecho, considerado um grande desafio da Rota do Café, é temido pelos skippers que sofrem para aguentar os caprichos do vento.

Atrás da Madeira e Canárias, está o caminho dos ventos almejados! A cordilheira é menos dolorosa do que o esperado, tendo sempre um pouco de vento para avançar.

Atrás dos líderes de cada classe (Groupe GCA – Mille et un sourires no Multi50, Charal no IMOCA e Crédit Mutuel nas Class40), as duplas estão fazendo força para recuperar posições.

Classe 40

A flotilha de 22 barcos da Class40 está progredindo com velocidade de dois dígitos, na sequência do mais recente IMOCA. Sob a noite estrelada de temperaturas quentes, os skippers estão competindo em desacordo, mas aproveitam esses grandes momentos de prazer no mar.

“Estamos muito felizes, desde ontem, estamos de camiseta, são momentos raros, então temos que tirar proveito! Havia uma pequena lua no início da noite mas depois apenas estrelas, é lindo!”, disse o velejador Ian Lipinski.

Multi50:

Muito para o leste após sua passagem no coração do arquipélago das Ilhas Canárias, o barco Solidaires En Peloton – ARSEP de Vauchel-Camus / Duthil teve que manobrar várias vezes para seguir para o oeste.

O multicasco foi para atrás de seus companheiros e estava a 130 milhas atrás do líder Groupe GCA – Mille et un sourires.

“Vamos visitar as ilhas de Cabo Verde! A priori, passaremos pelo arquipélago, depois viraremos para o oeste para atacar os Doldrums “, disse Gilles Lamire esta manhã.

O Primonial está a 35 milhas a oeste. A competição será interessante de acompanhar até os Doldrums!

IMOCA:

O Banque Populaire está no espelho retrovisor de Charal literalmente! A primeira noite mais “tranquila” para o Charal na liderança da Imoca. Nessa parte da regata, não há acrobacias altas para os foils, mas eles permanecem na parte de forte dos veleiros.

O Banque Populaire está definitivamente fazendo uma excelente regata em segundo lugar entre Charal e Apivia. As estratégias foram implementadas, mas nenhuma projeção foi longe demais:

“Levamos as coisas uma após a outra. Já iremos analisar Cabo Verde e depois examinaremos os Doldrums mais de perto. Os Doldrums não estão ótimos no momento, não gostaríamos de estar lá, mas deve dar certo, cruzamos os dedos “, explicou Christopher Pratt nesta manhã.

No noroeste das Ilhas Canárias, os retardatários estão pegando cores e a moral está aumentando.

“Hoje à noite passamos um caminho de um vento comercial (alísio) desejado, e super afiado para brincar nas próximas etapas com o Doldrums”, disse Yannick Bestaven sobre o seu Maître CoQ, a 140 quilômetros de Pure, o último do primeiro grupo de IMOCAs.

Os primeiros barcos devem chegar a Salvador (BA) a partir de 7 de novembro.

A Vila da Regata abre as portas no dia anterior no Terminal Turístico da Bahia, atrás do Mercado Modelo.

A Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre está em sua 14ª edição e reúne velejadores de 11 países nas classes Multi50, IMOCA e Class40.

Foto em destaque: Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre

Contatos:

Flávio Perez

flavio@onboardsports.net

Tel: +5511999498035

www.onboardsports.com.br

Anúncios

Deixe uma resposta