Será que um veleiro pequeno, na faixa dos 16 a 23 pés, é o ideal para você?

A escolha do veleiro certo para cada proprietário pode depender de muito estudo, “bate-perna” e, talvez, da sorte, especialmente se ele for antigo.

Até mesmo velejadores experientes ficam em dúvida e não tem uma clara definição do que é melhor.

Se estiver procurando um veleiro “novo”, ainda podemos conseguir informações dos fabricantes ou agendar uma velejada de teste, contudo, mesmo assim, ainda irá pairar a dúvida.

Soling

Se o teste do veleiro for num dia lindo, com ventos moderados, sempre vai ficar a pergunta de como o veleiro reagirá num dia feio, com ventos fortes, e vice-versa.

Avaliações realizadas por especialistas podem dar muita informação importante, da mesma maneira que conversar com proprietários pode ser de imensa ajuda.

Comprar um veleiro não é o mesmo que comprar um carro, onde a informação é de fácil acesso e não existe grande prejuízo se comprar um modelo que não lhe agrade já que, no caso do carro, é fácil de vender.

Skipper 21

O veleiro não funciona assim e a experiência, a informação recebida e a troca de “experiências” com outros velejadores pode ser importante já que darão uma ideia das vantagens e desvantagens de um determinado modelo.

Contudo, cuidado com as inferências, opiniões infundadas e pré-conceitos comuns no mercado de vela onde cada um gosta ou odeia um determinado modelo de veleiro e que, dependendo da fonte, só o que você vai conseguir é mais dúvidas, especialmente quando alguém vier com a resposta do tipo: “Eu não teria um destes nem se me dessem de graça!”.

Diferente da compra de um carro usado, a saída para testar um veleiro usado é uma exceção (agende direto com o proprietário).

Velamar 22

Mesmo porque, o broker, nem sempre irá sair com você para um teste nos diversos veleiros que ele possui anunciado, caso contrário, ficaria a maior parte do seu tempo velejando e, isso, se tiver vento… agende sempre com o proprietário que tem todo o interesse em vender!

No caso de comprar direto com o proprietário, se o veleiro estiver ou tiver fácil acesso á água, é provável que consiga sair para um teste, contudo, não dá para garantir. Isso porque, se conseguir agendar uma saída, quem diz que as condições serão ideais para testar e tirar todas as suas dúvidas? … contudo, recomendo, insista. Se não der um dia, agende novamente… até conseguir.

Modelo não identificado… dupla quilha… artesanal?

Compro um veleiro na faixa dos 16 a 23 pés ou maior?

Antes de pensar em comprar um veleiro, entenda Quais são os custos fixos de um veleiro no Brasil? e, no mínimo, faça a si mesmo três perguntas básicas: Onde você vai velejar, com que frequência e com quem?

Ter uma resposta sincera a estas perguntas pode mudar totalmente sua escolha e o tipo de veleiro ou o tamanho que atende às sua necessidade naquele momento.

Além destas, entenda sua expectativa se perguntando o que realmente quer de um veleiro:  velocidade, conforto, beleza, status, segurança, participar de regatas, realizar cruzeiros, solitário, com família, oceano, lago ou represa, dormir a bordo, Day-Sailing, cozinhar a bordo, acomodações de luxo, espartano, espaço, algo para reformar, já pronto… as opções são amplas, muito maiores do que as que se usam ao escolher um carro e, algumas, representam maior retorno ao seu investimento do que outras.

Escolher um modelo de veleiro antigo, mas que você gostou, pode significar jogar fora um monte de dinheiro. Saiba mais lendo Veleiro… Que paixão!

Na maioria das vezes, começar com um veleiro menor, entre os 16 e 23 pés, e conseguir a experiência necessária para poder escolher posteriormente um veleiro maior, faz muito sentido. Muitos velejadores de dingy (veleiros abaixo dos 16 pés) que querem passar para um veleiro escolhem nessa faixa… se não tiver experiência e conhecimento de vela, recomendo começar por esta faixa (não se aplica a velejadores que querem viver em um veleiro ou viajar pelo mundo).

Velamar 18

Também, muitos velajadores proprietários de veleiros grandes, depois de se aposentar, decidem por possuir veleiros pequenos e fazer charter de veleiros grandes, evitando assim, o custo de manter o grande.

Alternativas com base nos veleiros fabricados no Brasil até hoje (a maioria são antigos e não mais produzidos):

Selecionei uma série de veleiros “antigos”, na faixa dos 16 aos 23 pés, fabricados no Brasil e disponíveis no mercado brasileiro e, como mencionado, recomendo, se quiser escolher um destes veleiros, converse e troque informações com outros proprietários (ou pessoas que velejem no modelo) do modelo antes de comprar.

Marreco 16

Esta é a lista em ordem alfabética de alguns antigos veleiros na faixa de 16 a 23 pés fabricados no Brasil:

  • Alpha 20.2;
  • Alpha 220;
  • Angra 21;
  • Atol 23;
  • Barracuda 23;
  • Boto 16;
  • Brasília; 23;
  • BRM 18;
  • Bruma 19;
  • Bruma 22;
  • Cat 119;
  • Clam 19;
  • Classic 16;
  • Costeiro 19;
  • Cruiser 18;
  • Cruiser 23;
  • Delta 17;
  • Delta 21;
  • Ensenada 20;
  • Fast 230;
  • Flash 16;
  • Flash 195 XR;
  • Flash 205;
  • Gaivota 23;
  • Guanabara;
  • HC-16;
  • Main 22;
  • Mapau 19;
  • Marreco 16;
  • Micro Racer 19;
  • Microtonner 19;
  • Mod 23;
  • Multishine 23;
  • O’Day 23;
  • Paturi 16;
  • Paturi 23;
  • Poli 19;
  • Ranger 22;
  • Rival 21;
  • Rocket 23;
  • Sailing 21;
  • Sailor 19;
  • Skipper 21;
  • Supercat 17;
  • Tahiti 16;
  • Tchê 17;
  • Vaqueiro 16;
  • Vaqueiro 18;
  • Vaqueiro 22;
  • Vega 23;
  • Velamar 18;
  • Velamar 22;
  • Voyage 23;

Com certeza, existem outros modelos que podem ser também avaliados.

Meu objetivo não foi exaurir e listar todos os modelos já fabricados no Brasil e sim, identificar alguns que sirvam de referência para sua apreciação.

O’Day 23

Quem puder ou quiser ajudar a complementar este artigo, favor fornecer nos comentários abaixo maiores informações sobre cada modelo (parcial ou completa) ou listar outros modelos que não foram listados.

Espero que este artigo o ajude na escolha de um veleiro, contudo, não deixe de ler: Entendendo a Ficha Técnica de um veleiro e Alguns veleiros ficam velhos e são simplesmente abandonados.

Bons ventos!

Max Gorissen

Velejador, escritor e editor da SailBrasil.com.br… nessa ordem!

Anúncios

Deixe uma resposta