Súmulas e fotos de todas as classes participantes da Copa Suzuki 2019

Foram quatro etapas de muitas regatas e diversão, confirmando a Copa Suzuki como o mais regular torneio de vela oceânica de São Paulo.

Shows, happy-hours, canoas de cerveja, sorteios, ações sociais, uma raia que não tem comparação e a presença média de 30 veleiros e mais 200 velejadores por etapa. Assim foi a Copa Suzuki 2019.

Esta quarta etapa, como todas disputadas em dois finais de semana, foi decisiva para todas as classes, mostrando o equilíbrio dos velejadores mesmo após um ano inteiro de competições.

Uma das mais disputadas classes da competição é a C30. A equipe vencedora deste ano, Kaikias Maserati, de Eduardo Mangabeira, encerrou 2019 com 43 pontos acumulados em 27 regatas. Apenas 3 a menos do que o Caiçara, de Pablo Lyn, com 47. Na terceira colocação geral da C30, o Caballo Loco, de Mauro Dottori, somou 66 pontos.

Entre o quarto, quinto e sexto colocados, a diferença foi ainda menor. 74 pontos para o Katana, de Cesar Gomes Neto (4º) e para o +Realizado, de José Luiz Apud (5º) e 75 para a tripulação do Barracuda, de Humberto Diniz.

Na outra classe one design (veleiros idênticos), a HPE, este ano conheceu um novo campeão, a equipe do Conquest Econ, de Marco Hidalgo. Com 37 pontos acumulados em 28 regatas realizadas. O Ginga, de Breno Chvaicer, foi o vice-campeão, com 42 pontos acumulados. Em terceiro, neste ano de 2019, o Artemis, de Luis Castellaria, com 82,6 pontos.

Nos veleiros clássicos a diferença entre o vencedor e o segundo colocado, foi ainda menor, apenas um ponto. Vendetta, de Marco D’Ippolito, com 18 pontos, enquanto o Kamaiura, de Francisco Miranda, acumulou 19 pontos. o time de Rubens Bueno, com o Brazuca, terminou o ano em terceiro lugar, com 31 pontos. Beiramar, Atrevida e Pelikan vêm em 4º, 5º e 6º lugares, respectivamente.

Se, nestas classes mencionadas, o equilíbrio foi grande, na IRC e na RGS, dois veleiros dominaram o ano.

O Rudá conquistou 9 vitórias em 21 regatas, além de outras seis segunda-colocações e nas demais regatas, não chegou além da sétima colocação. Com isso, liderou folgado a classe e terminou o campeonato com 27 pontos acumulados.

Com 41.5 pontos, o Asbar, de Sergio Klepacz, foi o segundo colocado geral, seguido do Inaê 40 Transbrasa, de Bayard Umbuzeiro Filho, com 53.

Outra classe que faz a festa na Copa Suzuki, a RGS, também teve um campeão indiscutível. O Zeus, de Paulo F Moura, que venceu 14 das 18 regatas disputada no ano, acumulando 14 pontos.

Em segundo, o Bl3 Urca, da Clauberto Andrade, somou 33 pontos no ano. Com 45, Felipe Ferraz e a a tripulação do Beleza Pura, conquistaram a terceira colocação do ano.

Thomas Shaw e a tripulação do Sextante, também lideraram a RGS C, com 14 vitórias em 18 regatas. Terminaram o ano com 22 pontos acumulados. Com 50 pontos, o Triton, de Christian Stauch, terminou 2019 em segundo e na terceira colocação, o Colin, de Sebastian Menendez.

A Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica é uma realização do Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio da Suzuki Veículos e apoios da Prefeitura de Ilhabela, Federação de Vela do Estado de São Paulo, Associação Brasileira de Veleiros de Oceano, Band Vale, Band, Balaio de Ideias, O Ancoradouro e Restaurante Capitano.

Súmulas:

Fotos:

Clique nas fotos para ver estas e outras junto com os autores das fotos.

Maiores informações no site do YCI (www.yci.com.br), ou pelo telefone do YCI, (12) 3896-2300.

Fonte: http://www.yci.com.br/chega-ao-fim-a-copa-suzuki-2019/

Anúncios

Deixe uma resposta