Anúncios

Recém restaurado, veleiro KAMEHA MEHA participa da 24ª Preben Schmidt RYC e da 25ª Neptunus ICRJ – saiba mais sobre o veleiro, sua reforma e seu resultado nas regatas.

A Regata Preben Schmidt homenageia o avô de Torben e Lars de mesmo nome. Ele navegou com o Aileen conquistando medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de 1912 em Estocolmo, na Suécia.

A 24ª edição contou com mais de 80 barcos e presença de tripulação da Espanha e homenagem a Fernão de Magalhães que completou 500 anos de sua passagem pelo Rio de Janeiro na circo-navegação realizada em 13 de dezembro de 1519 dando a volta ao mundo e provando que a Terra era redonda.

Foi mais um grande edição da Preben, mais de 80 barcos na raia, uma grande confraternização da vela do Rio de Janeiro, talvez a maior do Brasil com presença de medalhistas Olímpicos, campeões mundiais como a Martine Grael, até mesmo o troféu do Mundial de Snipe apareceu no balcão do bar do Rio Yacht Club troféu já conquistado por vários nomes como o Erik Schmidt, o Torben Grael, Maurício Santa Cruz, Luis Marcelo Maia, e eu mesmo”, disse Lars que comentou sobre a Regata: “Tivemos ventos fracos sobretudo fora da Baía de Guanabara, desafio para muitos. Vencemos nos Clássicos, foi bem legal, recebemos troféu da Marinha da Espanha em homenagem ao Fernão de Magalhães que no dia 13 de dezembro, 500 anos atrás, passou pelo Rio de Janeiro fazendo a circo navegação. Estava lá o comandante do navio veleiro da Espanha, Juan Sebastian Elcano, entregando o mesmo troféu e essa tripulação espanhola participou com o veleiro Dourado. Tivemos patrocínio da Mapfre Seguros e do Instituto de Resseguros do Brasil, o IRB. Que venha 2020”, destacou Lars, ex-Comodoro da ABVO e Conselheiro Técnico da entidade. … saiba mais na reportagem de Fabrizio Gallas – Gallas Press clicando aqui.

No centro da foto, o Columbia 43 Kameha Meha ao lado de Lady Lou (casco azul), um Columbia 50 pertencente a Torben Grael – Foto: Consorcio Rei do Havaí

O KEMEHA MEHA na Regata Preben Schmidt e Neptunus através do relato de Atila Bohm:

A Regata Preben Schmidt foi realizada no dia 14/12/2019 com largada em frente ao Rio Yacht Clube em Niterói, na baia de Jurujuba, em frente à praia de São Francisco.

Com vento SW de 8 a 10 nós, contornamos o morro do Morcego e a Ponta de Santa Cruz em direção à Ilha da Mãe. Nesta perna o vento variou de intensidade, principalmente quando contornando as Ilhas da Mãe e Pai.

A volta foi uma balonada muito agradável. Venceu o Classe 6M MARGA de Lars Grael, em 2º o Columbia 50 LADY LOU de Andrea Grael e o KAMEHA MEHA terminou na 5º colocação, entre 12 participantes na nossa categoria. Após a regata, foi servida a tradicional feijoada na aconchegante sede do Rio Yacht Club Sailing.

A Regata NEPTUNUS aconteceu no dia 15/12/2019 com largada em frente a Ilha de Villegagnon (Escola Naval), com os veleiros largando com vento de S de 8 a 10 nós e, após a Ponta de Santa Cruz, com o vento rondando para SE, contornamos a Ilha do Pai fazendo outra  balonada maravilhosa até a boia em frente à praia de Copacabana. A próxima perna, em orça folgada, foi em direção à Ilha de Cotunduba e, para a chegada, lançamos o balão que rasgou na subida nos obrigando a cruzar a linha de chegada em asa de pombo.

Na nossa categoria venceu o DORF, de Roberto Schnarndorf, em 2º lugar o LELIA W de Lelia Winckler e o KAMEHA MEHA em 3º.” (Atila Bohm)

A tripulação do KAMEHA MEHA nestas duas regatas foi composta por:

  • Cmt. Lucas Mesquita
  • Ana Paula Michel
  • Marcelo Mesquita
  • Gabriel Borgstrom
  • Atila Bohm

O veleiro KEMEHA MEHA

Kameha Meha com sua pintura anterior, fotografado por Max Gorissen na Baía de Guanabara – RJ no ano de 2017.

O KAMEHA MEHA é um veleiro Columbia 43, projeto Willian Tripp Jr., fabricado em 1970, dos quais foram produzidos ao todo 153 barcos entre 1969 e 1974 no estaleiro Columbia Yachts, California – USA.


O KAMEHA MEHA teve seu tempo áureo no Brasil quando pertencia a família Breda. Comandado pelo Sr. Ernesto Breda, correu a regata Cape Town to Rio do ano de 1973 conquistando a 6º colocação geral e a 4º na Classe II, entre 36 competidores.

Desde 2019 o barco pertence ao consorcio Rei do Havaí, formado por 9 associados que promoveram uma extensa reforma no veleiro, tendo esta começado em maio de 2019 no estaleiro MCP Yachts no Guarujá, gerenciada pelo Sr. Raymond Grantham da Coninco, com participação do Sr. Wellington Luciano, responsável pela parte de fibra de vidro e pintura externa e, a Sra. Eliase Regina Fernandes, pela marcenaria e pintura interna.

Fotos tiradas por Max Gorissen durante a reforma:

Especificações:

Fabricante: Columbia Yachts, California – USA

Modelo: Columbia 43

Mastreação: Sloop

Área vélica total (Mestra + Genoa): 805.76 ft / 74,86 m2

LOA: 43.25 ft/ 13.18 m

LWL: 32.00 ft/ 9.75 m

Beam: 12.33 ft/ 3.76 m

Displacement: 18.900 lb / 8.573 kg

Ballast: 9.500 lb / 4.309 kg

Construção: Fibra de Vidro

Material da quilha: chumbo

Ano de Fabricação: 1969

Características:

  • Casco sem cavernas. Os móveis dão estrutura ao veleiro.
  • Leme individual com formato de barbatana de tubarão
  • Fin keel (independente) semi bulbo

Cabines: 1 com cama de Casal

Convés: sanduíche com balsa

Banheiro: 1

Proprietários:

  • 1972 a ? – Ernesto Breda
  • ? a ? – Marcello Quintela
  • 2019 – consorcio Rei do Havaí

Fotos: Fred Hofmann, Aline Bassi, Consorcio Rei do Havaí e Max Gorissen conforme descrito na foto. Algumas fotos são de artigos de jornal/revista antigos e não possuímos a autoria (se souber informe).

Texto: Fabrizio Gallas – Gallas Press, Atila Bohn e Max Gorissen

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: