Anúncios

Veleiro Magellan

Foto: Autor desconhecido

Especificações:

  • Ano de Fabricação: 1948
  • Outros nomes: Destino (1952), Ondina II (1957), Lorelei (1951), Neptunus (1956) e Madinina (década de 60)
  • Estaleiro: Eckernforde Alemanha
  • Material construtivo: Madeira
  • Armação: IOLE ou Yawl
  • Propulsão:
  • Tripulantes/ Passageiros: 
  • Numeral: BL 1
  • Comprimento:  45′ ou 13,70 m
  • Design No.: 
  • Linha d’água (m): 14,11 m
  • Boca (m): 4,22 m
  • Calado (m): 
  • Área velica (m²): 
  • Deslocamento (Kg): 
  • Projetista: Kurt A. H. Oehlmann
  • Observações: Primeiro proprietário brasileiro: Oscar Schmidt em 1952 que mudou seu nome para Destino com numeral BL 1.

Esta é uma história em desenvolvimento… caso possua informações, contribua!


Com desenho de Kurt A. H. Oehlmann, o Magellan foi construído em Eckernforde na Alemanha no ano de 1948 para três alemães, sendo, um deles, o comandante de submarino da marinha Alemã Heinrich Lehmann-Willenbrock.

O Comandante Lehmann também comandou o dirigível Hindenburg em viagem para o Brasil em 1937.

Em 1949 partiram com o Magellan da Alemanha para Buenos Aires, onde participaram da segunda edição da Regata Buenos Aires – Rio de Janeiro (1950).

Em 1952 , o Magellan foi vendido, no Rio de Janeiro, para Oscar Schmidt, que mudou o nome do veleiro para DESTINO e o registrou com o numeral BL 1.

Em 1957 foi vendido para Joaquim Belem, que o rebatizou de ONDINA II.

Em 1961, passou para Hans Rudoph Duemichen que o batizou de LORELEI.

Em 1966, Sergio Mirski o comprou e novamente trocou o nome para NEPTUNUS.

Foi vendido no final da década de 60 para Sergio Andino e, posteriormente, foi navegando para na Bahia nas mãos de Fernando Mata Virgem, com o nome MADININA.

Desapareceu na Bahia de Aratu na década de 80.

Mensagem do Davi Hermida: Não acabou desaparecendo… Fernando vendeu para o irmão Hélio, que subiu o veleiro no Estaleiro Corema para reforma. O veleiro ficou no seco junto do catamarã Don Mamão e, em um fim de semana, houve um incêndio que alcançou o veleiro destruindo o BL1. Não foi no Aratu o seu final como mencionado!

MAGELLAN principais regatas:

RegataPosição
1950 – Buenos Aires – Rio de Janeiro11º
1955 – Santos – Rio de Janeiro13º
1956 – Santos – Rio de JaneiroDNF
1957 – Santos – Rio de Janeiro
1958 – Santos – Rio de Janeiro13º e 5º Classe B
1961 – Santos – Rio de Janeiro10º
1966 – Santos – Rio de Janeiro?
1967 – Santos – Rio de Janeiro

Fotos:

Autor desconhecido: se uma destas fotos for sua, favor enviar seu nome para darmos o devido crédito. Caso queira que retiremos a fotografia favor avisar. E-mail: redacao @sailbrasil.com.br

Foto em destaque: Magellan, já com o nome Destino navegando em águas brasieliras – autor desconhecido

Texto e informações fornecidas/com contribuição de: Atila Bohn.

Cadastro Nacional de Veleiros

Cadastro Nacional de Veleiros Brasileiros (LOA até 100 pés).

Não importa se esses veleiros são de propriedade de indivíduos, organizações, fundos fiduciários ou museus. Também não importa se são novos, usados, estão em péssimas condições, se já foram destruídos ou afundaram.

Não importa se foram produzidos no Brasil ou no exterior, desde que tenham algum tipo de relação com o Brasil… Todos são importantes.

Quer ajudar ou possui informações? Clique aqui para saber como.

.

.

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: