Anúncios

Classe Carioca ou Karioca

Foto: Autor desconhecido

O desenho dos veleiros da Classe Carioca foi desenvolvido por Ernst Retzlaff, na Alemanha, em 1938.

No Brasil, o primeiro veleiro da Classe foi construído em 1941, no Rio de Janeiro, pelo velejador Harry Boll.

O primeiro “K”

A letra “K” é o símbolo da Associação de Veleiros da Classe Carioca (desativada), fundada em novembro de 1946 na cidade do Rio de Janeiro, e figura na vela grande (mestra) dos veleiros juntamente com os numerais.

O primeiro Carioca foi construído no Brasil por Harry Boll, a partir dos planos do veleiro desenvolvido por Ernst Retzlaff em 1938, que incorporava uma cabine confortável ao tradicional desenho dos jollenkreuzer da época.

Em um ano e meio de produção, o iole criado por Ernst Retzlaff foi se destacando nas regatas europeias, atingindo o número de mais de 45 veleiros de diferentes modelos.

Com a ajuda de um amigo engenheiro naval, Harry Boll introduz algumas alterações no projeto original, aumentando o comprimento de 6,50m para 6,70m, contudo, mantendo a mesma linha d’água.

Em 6 de setembro de 1941, foi lançado ao mar o “Hanseat”, que ainda viria a se chamar “Gabiola” e, novamente adquirido por Boll após a 2ª Grande Guerra, rebatizado de “Trio”, em homenagem ao novo membro da família, seu filho, Peter.

Características técnicas

Estaleiro:

  • Artesanal
  • Manuel Vareta – Espirito Santo

Comprimento (m): 6,70

Linha d’água (m): 

Boca (m): 2,06

Área velica (m²): 15,00

Área mestra (m²): 

Área genoa (m²): 

Área balão (m²): 

Calado (m): 

Deslocamento (Kg): 

Projetista: Ernst Retzlaff – Alemanha – 1938.

Material do casco: Madeira

Como navega

Casco e deck

O Carioca mostra ainda hoje design moderno e harmonioso com sua proa quase reta.

Interior

Mastreação

O velame peculiar, com sua grande “full batten” de valuma aluada, sem estai de popa, sendo a genoa entralhada num mastro fino chamado de pau de buja.

Fotos

Autor desconhecido: se uma destas fotos for sua, favor enviar seu nome para darmos o devido crédito. Caso queira que retiremos a fotografia favor avisar. E-mail: redacao @sailbrasil.com.br

Materias da época

Veleiros Carioca/ Karioca fabricados conhecidos (se faltar algum nos avise!)

  • Aragem (Carlos Gomes) – 1965 – K 41
  • Balisa (Anibal Petersen Júnior)
  • Blitz (Rafael Lorenz), último Karioca construído, todo cavilhado, sem parafusos ou pregos
  • Brisa (Tacariju Tomé)
  • Carioca
  • Hanseat (Harry Boll) – 1941 – Outros nomes: Gabiola e Trio
  • Humpapa – K 48, ultimo campeão da classe em 1988
  • Jacuí (Hélio Pereira)
  • Maringá (Wilson Teixeira)
  • Ogum (Harry Adler)
  • Pinocchio (Manoel Simões)
  • Sereno (Jorge Eduardo Henrique Sereno)
  • Vida Mansa – K 21

Barquinho

A capa do disco da Maysa, um clássico de 1961, tinha a cantora e os músicos no deck do veleiro Aragem, onde “O barquinho”, música do mestre Roberto Menescal em parceria com Ronaldo Bôscoli, um dos símbolos da bossa nova, dava nome ao álbum.

Letra de “O Barquinho”, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli – Faixa nº 1

Dia de luz
Festa de sol
E um barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Que desliza sem parar
Sem intenção nossa canção
Vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis
Volta do mar desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar
Céu tão azul ilhas do sul
E o barquinho coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz tudo isso traz
Uma calma de verão e então
O barquinho vai
A tardinha cai
O barquinho vai

Informações extraídas do site de origem: Rio em Disco


A história do Aragem por Marcos Temporal

O Aragem foi encomendado pelo carioquista do ICRJ Carlos Gomes, sendo construído no Espirito Santo, em 1965, pelo famoso mestre carpinteiro naval Manoel da Rocha Rodrigues, mais conhecido como Manuel Vareta.

A partir daí, esperamos reconstruir a saga com as contribuições dos amigos e proprietários que se sucederam, como o Gilberto Chaudon e Carlos Schuler.

Suas dimensões básicas (ainda a serem confirmadas) são:

  • Comprimento total: 6,70m
  • Boca: 2,06m
  • Altura do mastro: 7,68m (a partir do convés)
  • Peso do casco: 680kg (mínimo estabelecido pela Classe)
  • Área vélica: 15m² (medidas retas dos triangulos da grande e buja, sem o balão)
  • Tripulação: 3 em regata e capacidade máxima de 5 pessoas

Depoimentos

por Walcles Figueiredo Alencar Osorio

O pai do Peter Boll foi quem trouxe o projeto para o Brasil. Era o Karioca Trio numeral K6-1. Seis era o número do CR Guanabara e do ICRJ era 1.


Páginas de veleiros Carioca/ Karioca

Páginas do veleiro Aragem: http://aragem-carioca.blogspot.com/

Página do veleiro Carioca: https://veleirocarioca.wordpress.com/

Contribuíram para esta matéria com informações ou fotos:

Foto em destaque: veleiro Aragem nas proximidades do JIC. Foto: autor desconhecido

SailBrasil: O bom e velho veleiro

Desde o seu lançamento, a SailBrasil desenvolve um conteúdo focado no que interessa aos 99% dos velejadores e proprietários de veleiros… sim, você, que aproveita sempre que pode para velejar no seu veleiro, que tenta realizar a maior parte das manutenções, que está sempre em busca de como melhorar a sua velejada ou o seu veleiro e que busca inspiração em outros velejadores.

Sim, você, que como eu, possui e mantém um veleiro de cruzeiro ou de regata um pouco mais “antigo” … o “Bom e velho veleiro”.

ORM-Max

Como você sabe, hoje, a grande maioria dos veleiros que estão em uso no Brasil não são novos, assim como também, a grande maioria dos velejadores hoje no Brasil não está pensando em comprar um veleiro novo… a grande maioria, hoje, se for comprar um veleiro, este será um veleiro usado… o “Bom e velho veleiro”.

Como sei que é muito difícil no Brasil encontrar informações sobre os diversos “antigos” veleiros produzidos em algum momento pela indústria nacional, decidi criar uma nova categoria na SailBrasil na qual vamos nos concentrar em pesquisar, identificar, compilar e disponibilizar as informações de “todos” (os que pudermos identificar) os veleiros já produzidos em série no Brasil.

Sim, são muitos modelos e, como tudo no Brasil, não existe registro disponível ou de fácil acesso… então… vamos ter de ir devagar… curtindo a viagem… conversando, pedindo informações e trocando ideias com a comunidade da vela… como um velejador que, pacientemente, aproveita os ventos para chegar ao seu destino.

Com esta ação, a SailBrasil segue seu objetivo de disponibilizar informações para que você possa:

  • Estar atualizado com o que acontece no mundo da vela;
  • Conseguir as informações de que precisa para construir, reformar, manter ou melhorar seu veleiro/velejada;
  • Prover um lugar onde velejadores de recreação possam encontrar informação e dicas para cruzeirar ou competir no Brasil.

Veja os veleiros que já estão disponíveis no menu principal na categoria “Modelos de veleiros fabricados no Brasil” e, se algo faltar ou encontrar algo errado, entre em contato no e-mail redacao @sailbrasil.com.br e nos informe para que possamos realizar a correção.

Bons ventos!

Max Gorissen

Veleiro Gaia 1 – F&C 40 – 1987… o “Bom e velho veleiro” … 😊

Velejador, escritor, editor da SailBrasil.com.br … nessa ordem

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: