Anúncios

Estaleiro desativado: Arataca

ESTALEIRO ARATACA NOS PÉS DA PONTE HERCÍLIO LUZ - Florianópolis/SC - No ano de 1927.

O estaleiro Arataca, que data de 1907, pertencia ao Sr. Carl Hoepcke e ocupava uma área de 15 mil metros quadrados na Rua Forte Santana 405 – Centro – Florianópolis – SC.

Construído numa pequena enseada, junto ao Forte Santana, o Estaleiro Arataca era composto de várias edificações e de uma “carreira” para os navios, servindo para prestar serviços especializados e construindo não só os Navios da “Empresa Nacional de Navegação Hoepcke”, como também prestando serviços para a sociedade, através de serviços de manutenção em barcos. Não muito tempo depois, na década de 40, o Estaleiro Arataca produziu os famosos veleiros “Classe Brasil”.

Enseada junto ao Forte Santana onde Carl Hoepcke construiu, em 1907, o Estaleiro Arataca.

Em 1952 empregava 114 funcionários, sendo então de propriedade do Almirante Saldanha da Gama.

PONTE HERCÍLIO LUZ…em fase de construção, abaixo o Estaleiro Arataca, onde hoje se localiza o Restaurante Pier 54 (década de 20). – Fonte: Jornal de São José/SC

O estaleiro e sua relação com a vela

Contudo, em 1945, devido ao esforço do Sr. Mario Nocetti, Engenheiro Naval e Diretor do Estaleiro Arataca na época, o estaleiro recebeu a encomendada de seis veleiros da Classe Brasil seguidas estas por outras quatro, que pertenceriam aos senhores Mariano Ferraz (SP), Eduardo de Carvalho, Pimentel Duarte (RJ), Leopoldo Geyer (RS), Jorge da Silva Prado, Eduardo Simonsen, José Cortez e Ulysses Ribeiro.

Ao todo, foram encomendados 10 barcos ao estaleiro, contudo, somente oito foram produzidos já que dois proprietários desistiram no meio do caminho.

Abaixo, fotos do lançamento do Veleiro Cairu II no Estaleiro Arataca em SC (Fotos: Autor desconhecido, provavelmente do Sr. Leopoldo Geyer):

Os veleiros Classe Brasil produzidos por este estaleiro foram (para maiores informações dos outros veleiros Classe Brasil clique aqui): 

  • Aracaty (Mariano Marcondes Ferraz) – BL 10 – 1949 – Outros nomes: Procyon e Flegon
  • Cairu II (Leopoldo Geyer) – BL 12 – 1949 – Outros nomes: Sagres V (Mentor Muniz ). Segundo veleiro Classe Brasil construído pelo estaleiro Arataca. Nome original: Cairu II de Leopoldo Geyer, com seu filho, Jorge Frank Geyer venceu a Buenos Aires-Rio de 1953 em que, além da vitória, o barco ainda foi homenageado pelos presidentes do Brasil e da Argentina, Getúlio Vargas e Juan Peron. Possuía motorização Gray Marine de 25hp
  • Majoy (Eduardo Simonsen) – BL 11 – 19??
  • Simbad (Alcides Lopes) – BL 14 – 1951
  • Procelária (Fernando Pimentel Duarte) – BL 15 – 1951 – Com Fernando Pimentel Duarte, sagrou-se campeão da Santos-Rio em 53, 57, 61 e 64. O veleiro afundou em Fernando de Noronha. Outros nomes: Investor
  • Mistral (Leon Marius Joullie) – BL 16 – 1952
  • Turuna (Caio de Barros Penteado) – BL 18 – 1962 – Com Caio de Barros Penteado, venceu a Santos–Rio de 1962. Outros nomes: Aquarius, Tai-Pan e novamente Turuna
  • Cangaceiro (Domício Barreto) – BL 17 – 1954 – Com Domício Barreto ficou com a fita azul na Santos-Rio de 1954. Outros nomes: Kincaid (Mauro Joppert)

O Estaleiro e sua relação com a construção naval – Conheça a história

  • Em 1907, Carl Hoepcke construiu o estaleiro na pequena enseada entre as praias da Arataca e o cais da praia Rita Maria, próximo ao Forte Santana, hoje embaixo da cabeceira insular da ponte Hercílio Luz.
  • Formado por várias edificações e de uma carreira para deslocamento dos navios ao mar, o estaleiro ocupava 15 mil metros quadrados, e em 1952 mantinha 152 empregados.
  • Além de reformas na frota de Carl Hoepcke, eram fabricados veleiros para regatas oceânicas, utilizados em travessias entre Florianópolis e Buenos Aires, na Argentina.
  • Com a extinção do porto e, posteriormente, o aterramento da baía Sul, o Arataca foi desativado e seus empregados colocados à disposição do 5º Distrito Naval.
  • Em 2014, retroescavadeiras (veja foto abaixo) colocaram abaixo o que restava das intervenções arquitetônicas no estaleiro Arataca, um dos locais históricos de Florianópolis abandonados, depredados e transformados em refúgio de dependentes químicos, alcoólicos e vândalos. Em seguida, caçambas recolheram os entulhos e deixaram um vazio no entorno tombado da cabeceira insular da ponte Hercílio Luz.
O fim do estaleiro Arataca
ESTALEIRO ARATACA…Florianópolis/SC, foto da popa do Navio Carl Hoepcke (década de 20). – Fonte: Jornal do Mercado Público de Florianópolis
ESTALEIRO ARATACA NOS PÉS DA PONTE HERCÍLIO LUZ – Florianópolis/SC – No ano de 1927.
OS COLABORADORES DO ESTALEIRO ARATACA – Florianópolis/SC, (início do século XX) antes da construção da Ponte Hercílio Luz.

Max Gorissen

Velejador, escritor e editor da SailBrasil.com.br… nessa ordem!

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: