Veleiro Fast 345

O veleiro Fast 345 surgiu, junto com o estaleiro Fast Yachts, de uma viagem de negócios à Inglaterra, onde, o Sr. Nelson de Sampaio Bastos, no ano de 1980, ao ver em um jornal Londrino um anúncio de venda do estaleiro Fast Yachts (Inglaterra), foi até a empresa e comprou os moldes e os acessórios dos veleiros.

Conteúdo restrito a assinantes. 

Caso deseje adquirir uma assinatura da SailBrasil, clique aqui.

Caso seja um assinante e deseje fazer o login, clique aqui.

This post is also available in: Inglês

About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

24 Comments

  1. Eduardo Augusto de Gouveia maio 27, 2020 at 11:04 am

    Bons ventos Senhor Editor.
    Meu nome éEduardo Augusto de Gouveia com o intuito de ajudar as publicações, sou o proprietário do Prana que hoje é o EXODO que data de 1981 em sua placa de identificação o n• 6 na série de fábrica possível ser ainda inglês pois a operação aqui no Brasil consta em 1982, o Exodo passou por varias reformas durante sua existência e continua firme e forte navegando nas águas de Ubatuba se precisar de fotos para mais ilustrações me disponibilizo a mandalas.
    Forte abraço e bons ventos

  2. Muito interessante saber da origem da Fast e do 345…
    Conheci o Fast 345 Triton, na época de propriedade de Frans Prijkel, que com ele deu a volta ao mundo e o 345 Shark que foi de propriedade de Menno van den Berg.

    • Obrigado pelas informações… atualizado! Valeu!

      • Robson de Lemos Paoli junho 9, 2020 at 4:05 pm

        Boa tarde, sou proprietário do 345 número 39, registrado com o nome “tranquilo”, fica em Angra dos Reis.

      • Boa tarde Robson,

        Obrigado por seu contato e pela informação… já incluí nos “Veleiros Conhecidos”… você poderia informar o ano de fabricação e se ele já teve outros nomes?

        Abraço,

        Max Gorissen

  3. Filipe koefender maio 28, 2020 at 12:28 am

    Tenho um Fast 345 chamado Terra Firme, não está na lista. O barco fica em Floripa, ano 1986, navegou até os EUA.

  4. Robson de Lemos Paoli junho 9, 2020 at 5:38 pm

    Boa tarde, o ano de construção do tranquilo e 1984, o nome anterior era JL.

  5. Norberto Zaniboni julho 28, 2020 at 9:46 pm

    Gostei de encontrar esta matéria sobre os Fast 345. Tenho o Firulete, de nº 106, ano 1988, nunca mudou o nome. Baseado em Florianópolis. Em 2010 fiz o Costa Leste, Refeno e Fenat com ele, e em 2012 e 13 fui além, Caribe, Açores, Portugal, Espanha, Marrocos, Canárias, Cabo Verde. Estas viagens estão registradas no http://www.veleirofirulete.blogspot.com
    O barco foi acima das expectativas. Extremamente marinheiro e seguro, além de muito resistente. Tenho tratado o Firulete como uma joia e acho que ele vai ainda muitas décadas, pois não deve nada para um novo.

    • Bom dia Norberto,

      Obrigado por seu contato e interesse no nosso site! Que viagem maravilhosa! Visitei seu blog e recomendo a todos que queiram visitar as regiões mencionadas. Aproveitei seu relato e postei na página como “Depoimento” com uma foto do veleiro. O 345 é um veleiro extraordinário e sei que ainda lhe dará muitas alegrias!

      Bons ventos!

      Max Gorissen

  6. BOM DIA!

    Senti falta de um FATS 345, um dos primeiros, que foi testado pela VELA & MOTOR (ou náutica). Uma versão regateira que chamava-se REVANCHE.
    Por onde anda?

    • Bom dia Renato,

      Obrigado por seu contato e interesse no nosso site!

      O Revanche aparece na relação de “Veleiros Conhecidos” figurando apenas o nome… se você puder complementar com maiores informações (Número do casco, numeral, etc) seria muito legal… além disso, se tiver alguma foto do veleiro e puder mandar (identifique o autor da foto), agradeço.

      Bons ventos!

  7. Olá Max, que satisfação ler sobre os 345. O Revanche está em Ubatuba, no Saco da Ribeira. Pertence a um colega que conheço. Posso passar o contato se ele autorizar. O meu tbm fica aqui. Agora se chama Mahalo (primeiro nome Amostra Grátis, segundo Das Das – ambos figuram como barcos diferentes na lista. Caso queira unifica los). É a primeira foto de seu texto.
    Enviarei fotos caso deseje. Ele está em Ubatuba desde seus primordios. 1985.

    • Parabenize nosso amigo por cuidar do revanche.
      Bons Ventos a todos

    • Bom dia Márcio,

      Obrigado pelas informações e pelo interesse no nosso site!

      Atualizei as informações incluindo o Mahalo e atribuindo a ele os nomes anteriores. Novas fotos são sempre bem vindas… se seu interior for original e puder mandar algumas seria legal… preciso algumas para completar a matéria e mostrar como o veleiro é por dentro.

      Bons ventos!

      Max Gorissen

  8. Mais um para incluir na lista. O NOCTILUCA II foi fabricado e lançado em 1987, sendo o de numero 108 da segunda serie. Ele sempre foi do mesmo dono e esta localizado em Porto Alegre, RS. Muito legal as informações compiladas neste publicação. abçs. Dreher.

  9. GAP, nº 7, velejou do Rio de Janeiro para Lisboa em 1992, onde continua velejando até hoje.

  10. Tem o Haleakala. Nao sei onde anda..

  11. Que pena que fechou o post só para assinantes, comecei a ler e não consegui terminar e voltei agora e está fechado. Estratégia estranha para conseguir, seguidores fazendo um blog pago, até entendo que a revista física tem que ganhar dinheiro, arrecadar anunciantes, mas post de blog pago não vai atrair mais visitantes e mais assinaturas.

    • Bom dia André,

      Obrigado por seu contato e interesse no nosso site!

      Sim, a SailBrasil está mudando para um novo conceito, deixando de ser um blog de vela amador para se tornar uma “Multiplataforma de Jornalismo Multimídia sobre a Vela e o Mar”.

      Para isso, novos colunistas estão sendo contratados e uma restruturação de toda a infraestrutura de operação está sendo montada.

      Ainda disponibilizaremos muita coisa gratuita no nosso site, inclusive notícias, principalmente relacionadas a campeonatos e regatas, contudo, as matérias e outros conteúdos serão exclusivos para assinantes.

      Além disso, diversos eventos de interesse do velejador serão programados, assim que a pandemia permitir, também exclusivos para nossos assinantes.

      Esperamos em breve poder demonstrar que a mudança veio para beneficiar a vela brasileira e que, algum dia, venha participar desta grande união de velejadores fazendo uma assinatura anual da SailBrasil, afinal , a vida é melhor em um veleiro!

      Bons ventos!

      Max Gorissen
      Velejador, escritor e Editor da SailBrasil… nessa ordem! 😊

Comments are closed.

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: