Anúncios

Veleiro Aragem

Foto: Autor desconhecido

Especificações:

  • Ano de Fabricação: 1965
  • Outros nomes: –
  • Modelo: Classe Carioca ou Karioca
  • Estaleiro: Construído pelo mestre carpinteiro naval Manoel da Rocha Rodrigues, mais conhecido como Manuel Vareta
  • Material construtivo: Madeira
  • Armação: Sloop
  • Propulsão:
  • Tripulantes/ Passageiros: 3 em regata e capacidade máxima de 5 pessoas
  • Numeral: K – 41
  • Comprimento (LOA): 6,70 m (22 pés)
  • Design No.: 
  • Linha d’água (LWL) (m): 
  • Boca (Beam) (m): 2,06
  • Calado (m): 
  • Área velica (m²): 15,00
  • Deslocamento (Kg): 680
  • Projetista: Ernst Retzlaff, na Alemanha, em 1938.
  • Observações: No Brasil, o primeiro veleiro da Classe foi construído em 1941, no Rio de Janeiro, pelo velejador Harry Boll. O Aragem foi varado em 1965 por seu proprietário Carlos Gomes.

Esta é uma história em desenvolvimento… caso possua informações, contribua!


A história do Aragem por Marcos Temporal

O Aragem foi encomendado pelo carioquista do ICRJ Carlos Gomes, sendo construído no Espirito Santo, em 1965, pelo famoso mestre carpinteiro naval Manoel da Rocha Rodrigues, mais conhecido como Manuel Vareta.

A partir daí, esperamos reconstruir a saga com as contribuições dos amigos e proprietários que se sucederam, como o Gilberto Chaudon e Carlos Schuler.

Página do veleiro Aragem: http://aragem-carioca.blogspot.com/

Mastreação

O velame peculiar, com sua grande “full batten” de valuma aluada, sem estai de popa, sendo a genoa entralhada num mastro fino chamado de pau de buja.

Fotos do Aragem

Autor desconhecido: se uma destas fotos for sua, favor enviar seu nome para darmos o devido crédito. Caso queira que retiremos a fotografia favor avisar. E-mail: redacao @sailbrasil.com.br


Barquinho

A capa do disco da Maysa, um clássico de 1961, tinha a cantora e os músicos no deck do veleiro Aragem, onde “O barquinho”, música do mestre Roberto Menescal em parceria com Ronaldo Bôscoli, um dos símbolos da bossa nova, dava nome ao álbum.

Letra de “O Barquinho”, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli – Faixa nº 1

Dia de luz
Festa de sol
E um barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Que desliza sem parar
Sem intenção nossa canção
Vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis
Volta do mar desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar
Céu tão azul ilhas do sul
E o barquinho coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz tudo isso traz
Uma calma de verão e então
O barquinho vai
A tardinha cai
O barquinho vai

Informações extraídas do site de origem: Rio em Disco


Contribuíram para esta matéria com informações ou fotos:


Depoimentos

Gilberto Chaudon por e-mail em 26/06/2020

Prezado Max,

Muito feliz em ver uma postagem exclusiva a respeito do barco que fui o segundo proprietário, e no qual retomei uma atividade que muito cara me era, lembrança dos tempos de escoteiro do mar, no grupo do ICB (N.S. Da Boa Viagem).

Com a ajuda do Dr. Karl Boddenner conseguimos, eu e meu irmão Henrique, velejar novamente, após mais de 25 anos. Foi em janeiro de 1998.  

A foto dessa primeira velejada nossa com o Aragem segue nos anexos (abaixo).

Foi nesse barco, clássico especialíssimo, ícone dos meus tempos de escoteiro do mar no ICB, eu com 13, 14, 15 anos, quando via a grande movimentação nos galpões da náutica, com os Cariocas e Guanabaras voltando das velejadas…..ainda sinto o cheiro de mar e madeira molhada….

Tudo acabou. Era 1968.

Em 1997 encontrei o Aragem no ICI e o comprei de Carlos Gomes.

Seguiram -se os 4/5 anos mais felizes de minha vida. Quantas velejadas pela enseada e baía de Guanabara! A sensação de liberdade ao vento é indescritível! Depois a varanda do Sailing….

Meus filhos Rodrigo e Karina, com 15 e 12 anos (na época), tomaram o gosto pelo mar, e as primeiras lições nessas nossas velejadas com o Dr. Karl.

Que sorte o Aragem ter encontrado Marcos Temporal!

Vou anexar algumas fotos: nossa primeira velejada (clicada por outro velejador, surpreso com um Carioca na água depois de tanto tempo sem ver esse tipo de barco) e outra, clicada por mim, deitado no convés, onde se vê a grande e o spinneker armados. Em alguma das muitas velejadas pela enseada de Jurujuba.

Teria muito mais a falar. 

Mas, …


Foto em destaque: veleiro Aragem nas proximidades do JIC. Foto: autor desconhecido


Cadastro Nacional de Veleiros

Cadastro Nacional de Veleiros Brasileiros (LOA até 100 pés).

Não importa se esses veleiros são de propriedade de indivíduos, organizações, fundos fiduciários ou museus. Também não importa se são novos, usados, estão em péssimas condições, se já foram destruídos ou afundaram.

Não importa se foram produzidos no Brasil ou no exterior, desde que tenham algum tipo de relação com o Brasil… Todos são importantes.

Quer ajudar ou possui informações? Clique aqui para saber como.

.

.

Anúncios
About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: