Vivendo da vela e dos veleiros

Profissões, carreiras, empregos ou atividades às que posso me dedicar enquanto faço o que amo: velejar

Existem muitas pessoas que querem viver da vela ou do mercado da vela pois amam velejar e, por isso, tem interesse em seguir alguma profissão relacionada com a vela/veleiros.

Muitos já trabalharam em alguma atividade ligada à vela/veleiros quando jovens, como, por exemplo, em um clube ou escola de vela como instrutor. Alguns, já se dedicaram à venda de veleiros por um tempo e, outros, já trabalharam em alguma atividade de reforma ou manutenção de veleiros. Estes são apenas alguns exemplos e, independente da atividade exercida, cada um se apaixonou pelo mercado da vela e procura entender quais são as opções de trabalho para que possam escolher uma carreira e ganhar dinheiro suficiente para comprar/manter um veleiro e velejar ou se sustentar financeiramente enquanto velejam.

Aproveitando o final de semana para velejar e conhecer novos lugares.

Antes de discorrer sobre o assunto, gostaria de expor minha experiência de mais de 30 anos como proprietário de veleiros e como velejador.

Um primeiro ponto, que deveria ser uma premissa para qualquer profissão escolhida por apaixonados por vela/veleiros, é o de não trabalhar nos finais de semana. Contudo, ao contrário, pela vela ser um hobby onde a grande maioria dos proprietários somente tem o final de semana para atender a assuntos relacionados aos seus veleiros, isso o obriga a trabalhar praticamente todos os finais de semana, quando o que você queria mesmo era estar velejando.

Outro ponto, é que existem muitos empregos relacionados à vela (relaciono vários abaixo), contudo, é bom deixar claro que, no Brasil, a maioria não paga bem o suficiente para poder sustentar uma vida velejando ou uma família (claro, isso depende do seu padrão de vida).

Laminador e pintor.

Isso porque, as carreiras de nível intermediário/ médio centradas nas atividades de hobby, devido a não existência de “barreiras” como formação, capacitação (cursos profissionalizantes) ou tempo de experiência, como em outros mercados, emprega muitas pessoas “na informalidade” que se sujeitam a salários baixos (e sem benefícios).

Mais um ponto que você deve ter em mente ao escolher “trabalhar da vela” é que, só porque você diz que gosta de velejar ou estar perto de veleiros, do mar ou de outras pessoas com essa paixão, isso não significa necessariamente de que você irá gostar de trabalhar nesse mercado. Às vezes, quando você é apaixonado por algo e começa a fazê-lo por dinheiro (trabalho/obrigação), em vez de por prazer (hobby/paixão), isso aniquila completamente o sentimento de encanto e de prazer.

O que eu recomendaria, é que você se concentre em sua educação/formação e encontrar um emprego (ou empreender) em uma atividade que você goste de fazer e que lhe proporcione tempo e estabilidade financeira para comprar e manter seu veleiro, desfrutando de velejadas nas folgas ou de cruzeiros nas férias… pode até morar no veleiro!

Existem diversas maneiras de se curtir a vela.

Uma opção para quem quer realmente uma profissão no mundo náutico é cursar uma faculdade de engenharia com especialização, por exemplo, em dinâmica de fluidos e arranjar um emprego como designer de veleiros. Pense nesta possibilidade (cursar uma faculdade e conseguir um diploma) já que, habilidades técnicas são transferíveis para outras carreiras, não limitando você, caso queira mudar de profissão no futuro, de procurar emprego ou empreender em outro mercado.

De qualquer maneira, essa é só a minha opinião…

Dito isso, caso você decida por se dedicar profissionalmente ao “mundo da vela”, existem diversas profissões/atividades a considerar e que relaciono abaixo (existem outras ou variações dessas que não listei).

Nem todas vão permitir que você passe o tempo todo em um veleiro ou velejando e, por isso, criei um critério e as classifiquei em “Embarcado” e “Não embarcado”, sempre relacionadas ao mundo náutico e das embarcações:

Embarcado:

  • Capitão em veleiros/iates;
  • Tripulação em cruzeiros/veleiros/iates;
  • Tripulação em regatas;
  • Tripulação em Tall Ships (navio-veleiro);
  • Marinheiro de embarcações (lembre-se, no Brasil, esta profissão se caracteriza por passar 90% do tempo lavando o barco e 10% navegando, além, é claro, de passar a maior parte do tempo atendendo às necessidades dos proprietários e de seus convidados);
  • Fotógrafo com foco no tema náutico/ vela (regatas, passeios, feiras náuticas, etc);
  • Transportes e delivery de embarcações via mar;
  • Youtuber/ Blogger ou outras mídias sociais para discorrer sobre suas experiências em vela/veleiros viajando pelo mundo ou, outros, como, por exemplo, reformando/ construído um veleiro;
  • Aventuras e expedições;
  • Cursos on-line sobre vela, navegação, etc;
  • Escritor (romance, técnico, manuais etc.) sobre vela/veleiros ou correspondente/escritor independente de alguma revista/jornal/blog de vela.

Youtuber

Uma atividade que se originou recentemente é a de Youtuber.

Hoje, diversas pessoas “vivem” de fazer vídeos para a plataforma Youtube, contudo, poucas alcançam sucesso e conseguem se sustentar com essa atividade. É um trabalho intenso, complexo e de muita dedicação.

É uma atividade na qual você “abre” sua vida para que estranhos assistam e participem, com o uso também de outras mídias sociais, como grupos de WhatsApp e blogs, que obrigam você a estar 24 horas x 7 dias da semana “trabalhando”, enquanto viaja por lugares paradisíacos e realiza sonhos que outras pessoas, seus seguidores, gostariam de realizar.

Não é uma atividade para qualquer um. São poucos os que obtém sucesso como, por exemplo, viajando pelo mundo como o Beto e a Thaís do Sailing Around the World, a Georgia e o Diego do Unforgettable Sailing ou a Mariana e o Sérgio do Veleiro Barba Negra, ou reformando/construíndo veleiros como o Duca e a Roberta do Odd Life Crafting e o Fausto e a Guta Favarato do Ao Sabor do Mar e que já deram a volta ao mundo, entre muitos outros velejadores, apenas mencionando brasileiros (visite o Youtube para outros… existem centenas de pessoas fazendo vídeos de vela).

Aventuras e expedições

Uma outra maneira de se viver da vela e velejando é através de aventuras e expedições, como os realizados pela Família Schurmann, Beto Pandiani e Amir Klink, Izabel Pimentel, Aleixo Belov e Elio Somaschini, entre outros brasileiros, que financiam suas aventuras/navegadas com patrocínios, livros, filmes e palestras (O Amir também possui a Marina do Engenho em Paraty).

Não embarcado (isso não quer dizer que você não possa ter uma destas atividades e morar em um veleiro):

  • Trabalhar em empresas/postos de abastecimento de embarcações;
  • Fabricante, vendedor ou representante comercial de cabos;
  • Proprietário, capitão, marinheiro em empresas de charter/fretamento/passeios;
  • Fabricação de carretas rodoviárias ou de encalhe;
  • Decoração náutica;
  • Despachante náutico;
  • Promoção de Feiras Náuticas;
  • Vendedor, representante comercial, técnico ou instalador de eletrônicos;
  • Proprietário, vendedor ou representante comercial de uma loja de equipamentos náuticos em geral;
  • Proprietário de escolas e cursos náutica/vela/ Instrutor de vela;
  • Treinador de velejadores (exemplo: vela olímpica);
  • Proprietário de estaleiro, ou trabalhar em um;
  • Construtor de embarcações;
  • Proprietário de uma Marina/Garagem náutica ou trabalhar em uma ou em um Iate Clube;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador de ferragens;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou técnico de manutenção de infláveis;
  • Editor ou revenda de livros e revistas náuticas;
  • Proprietário ou ajudante de marcenaria ou marceneiro naval independente;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de mastros;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de motores;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial de produtos de limpeza;
  • Empresa de lavagem/ polimento de embarcações;
  • Projetista/ Designer/ Engenheiro;
  • Proprietário de uma empresa de segurança/rastreamento de embarcações;
  • Transportes e delivery via rodoviário;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de salvatagem;
  • Vendedor ou corretor de seguros;
  • Técnico em serviços gerais de manutenção;
  • Pintor, laminador, vendedor ou fabricante de tintas e resinas;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de velas e capas;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador de adesivos/adesivação;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de vestuário;
  • Fabricante, vendedor, representante comercial ou instalador/manutenção de Windsurf e kitesurf;
  • Yacht broker (vendedor de embarcações);
  • Entre outros…

Marinha mercante

Também existem profissões relacionadas com o mercado de transporte de cargas por mar que possui uma infinidade de oportunidades de empregos.

Esta é uma área que oferece uma série de empregos que dependem de especialização/formação, contudo, a contrapartida, é uma boa remuneração, aventura e diversão. Se você é o tipo de pessoa que adora explorar oportunidades únicas, estáveis (carreira) e lucrativas, os empregos na indústria marítima mercante são o tipo de emprego certo para você.

As profissões relacionadas com a marinha mercante são, entre outras: navegação de apoio marítimo, navegação de apoio portuário, transporte por navegação interior de carga, intermunicipal, interestadual e internacional, operações de terminais, atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural, transporte marítimo de cabotagem/ carga, atividades auxiliares dos transportes aquaviários, manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para a prospecção e extração de petróleo, outros transportes aquaviários…

Outras opções para quem gosta do mar é fazer uma faculdade de Oceanografia ou um Curso Básico de Segurança de Navio – CBSN (STCW), caso pretenda trabalhar em navios de cruzeiro. O curso é obrigatório para quem deseja participar de seleções para ser tripulante.

Importante: nestas atividades, você não vai passar o tempo todo velejando, contudo, vai passar um bom tempo no mar e poderá, se assim decidir, viver em um veleiro em uma marina próxima ao emprego já que são atividades que exigem (por conveniência) que você more perto do mar.

Também, pode até optar por uma carreira na Marinha do Brasil (maiores informações https://www.marinha.mil.br/ ).

Não se esqueça de que a vida num veleiro é muito diferente da vida em terra. Num veleiro, coisas importantes para quem mora na cidade (apartamento/ casa, carro, roupas, móveis, etc) deixam de ter importância ou são substituídas por outras, como, por exemplo, um bote com motor para poder embarcar/desembarcar.

Outro ponto importante a se considerar é que você terá de encontrar um(a) companheiro(a) que também goste da vida em um veleiro ou no mar… mas isso é um assunto delicado e complexo, que não vou discorrer aqui… 😊

Bons ventos!

Max Gorissen

Velejador, escritor e editor da SailBrasil.com.br… nessa ordem!


Outros artigos relacionados com o assunto:

.

.

About Max Gorissen
Sailor, writer and editor, in that order...

Deixe uma resposta

Aumentar fonte
Contraste
UA-141530851-1
%d blogueiros gostam disto: